Novas receitas

La Pergola: um dos melhores restaurantes de hotel em Roma

La Pergola: um dos melhores restaurantes de hotel em Roma


La Pergola é o único restaurante com três estrelas Michelin em Roma

La Pergola é um tesouro para os sentidos.

A sala de jantar do La Pergola, o único restaurante com três estrelas Michelin em Roma, é um tesouro para os sentidos, oferecendo vistas panorâmicas da Cidade Eterna nos arredores repletos de antiguidades mediterrâneas, junto com uma rara tapeçaria de Aubusson, porcelana de Sèvres, um décimo oitavo candelabros de bronze do século e uma coleção de vidros feitos à mão de Emile Gallé.

La Pergola tem uma adega de mais de 60.000 garrafas, um menu de água com 29 opções de água, uma sala de charutos e um terraço à luz de velas. E depois há a culinária do chef executivo alemão Heinz Beck: fagottelli La Pergola, a versão do restaurante de espaguete à carbonara, são pequenas bolsas de macarrão cheias de queijo e presunto polvilhado com pimenta preta fresca. Outras criações notáveis ​​incluem John Dory em crosta de salsa com azeite, alho e pimenta do Chile; lombo de cordeiro com molho de hortelã e folhado de pecorino; e filé de vitela marinado em pimenta no purê de berinjela com redução de vitela.


25 melhores restaurantes da Itália

Primeiro vieram os 101 melhores restaurantes do Daily Meal na América, depois os 101 melhores restaurantes de hotel em todo o mundo. Agora, o The Daily Meal está voltado para a Europa. A cada semana neste outono, o The Daily Meal destacará os melhores restaurantes em várias regiões da Europa, culminando com a estreia da nossa primeira lista dos 101 Melhores Restaurantes da Europa em dezembro.

Sempre em busca dos melhores lugares para comer e comer em cidades grandes e pequenas, o The Daily Meal continua sua viagem culinária europeia na Itália.

A lista do Daily Meal dos 25 melhores restaurantes da Itália foi cuidadosamente selecionada por meio de um processo de indicação de dois meses. Consultamos o Guia Michelin e outras fontes confiáveis ​​e reunimos recomendações dos editores do The Daily Meal, que viajaram e jantaram extensivamente ao redor do mundo .

Depois de compilar uma lista preliminar de mais de 100 restaurantes, procuramos um painel de juízes experientes, composto por críticos de restaurantes, escritores de comida e estilo de vida e blogueiros com ampla experiência em ir a restaurantes. Eles adicionaram seus próprios favoritos e, em seguida, votaram nos vencedores. Alguns de nossos juízes solicitaram anonimato. Entre aqueles que podemos agradecer publicamente estão Libby Andrews, Kathy Bechtel, Jonell Galloway-White, Elizabeth Minchilli, Agusti Jausas, Roger Morris, Chiara Pannozzo e Joe Ray.

Os palestrantes votaram em duas categorias: culinária e estilo / decoração / serviço. De opções de menu inovadoras para chapeamento e apresentação para frescor, qualidade e sabor, os palestrantes avaliaram a cozinha de cada restaurante e votaram apenas nos restaurantes que consideram extraordinários. Para a segunda categoria, os painelistas avaliaram a experiência gastronômica, desde o interior do restaurante e ambiente da sala de jantar até o serviço, votando nos restaurantes que acreditam oferecer uma experiência incomparável. Cada restaurante teve a chance de ser votado duas vezes durante a pesquisa. Finalmente, as pontuações percentuais de cada categoria foram calculadas para chegar à classificação final.


Um guia de jantar em Roma da única chef feminina com estrela Michelin da cidade

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Foto da Chef Cristina Bowerman: Cortesia de Andrea Federici Photo

Para revisar este artigo, visite Meu perfil e, em seguida, Exibir histórias salvas.

Cristina Bowerman é uma força a ser reconhecida. A renomada chef passa a maioria dos dias se deslocando entre seus restaurantes, Glass Hostaria em Trastevere e Romeo Chef & amp Baker e Giulietta Pizzeria em Testaccio. Originalmente da Puglia, Bowerman encontrou sua vocação culinária mais tarde na vida, primeiro estudando direito e depois trabalhando como designer gráfica em Austin, Texas, antes de perceber que sua verdadeira paixão era cozinhar. Depois de morar nos Estados Unidos por alguns anos, voltou para a Itália e assumiu a cozinha da Glass, onde ganhou uma estrela Michelin por seus pratos inovadores, como vieiras grelhadas com maçã quatro maneiras e ravióli com creme de parmesão aos 60 meses . “Como isso aconteceu, eu ainda não sei!” ela diz modestamente. “Mas sei que provavelmente perceberam a profissionalidade e a paixão que coloquei na minha cozinha. O impacto que a estrela teve no meu negócio foi enorme. Realmente mudou minha vida. ”

A excelente reputação que vem com uma estrela Michelin permitiu a Bowerman experimentar coisas novas, como mudar sua trattoria Romeo para um enorme armazém abandonado em Testaccio e adicionar Giulietta ao lado. A dupla de restaurantes é mais casual e acessível em termos de preço, mas isso não significa que a qualidade seja inferior à do Glass. No Romeo e Giulietta, Bowerman brincou com o design e os menus, colocando tacos ao lado da burrata no primeiro e fazendo uma pizza napolitana com a combinação incomum de mirtilos, pinhões, mussarela e anchovas no último.

Como um dos chefs mais influentes de Roma, Bowerman jantou em todos os lugares, desde os templos gastronômicos da cidade até as humildes trattorias e gelaterias de bairro. Aqui, ela compartilha seus lugares favoritos para comer, do único restaurante três estrelas de Roma a um local à beira-mar fora da cidade.

La Pergola “Ótima vista, ótima comida, ótimo vinho e ótimo serviço”, declara Bowerman. Você não esperaria menos do único restaurante de Roma com três estrelas Michelin, dirigido pelo chef alemão Heinz Beck. Um templo da gastronomia da velha escola dentro do luxuoso Rome Cavalieri Waldorf Astoria com um ambiente adequadamente refinado para combinar, este é o lugar para ostentar em um jantar de ocasião especial.

Il PagliaccioBowerman recomenda este restaurante com duas estrelas Michelin no centro histórico para a cozinha italiana moderna do chef Anthony Genovese, que nasceu na França de pais calabreses. Genovese aperfeiçoou seu ofício no Japão e na Tailândia, de forma que temperos asiáticos incomuns dão sabor a seus pratos, adicionando uma nova dimensão à culinária italiana que está muito de acordo com a maneira como Bowerman cozinha. “O serviço é além de ótimo e o ambiente é realmente especial”, diz ela.

Flavio al VelavevodettoPara compreender verdadeiramente a cozinha romana - apelidada Cucina Povera—Você precisa ir além dos recém-chegados da moda, e este valente cavernoso em Testaccio é um dos melhores lugares para ir. O cardápio é composto exclusivamente de clássicos como alcachofra frita, carbonara e cacio e pepe. Bowerman o recomenda para um “almoço tradicional romano”, acrescentando: “o rigatoni alla gricia é incrível”.

Fior di LunaGelaterias em Roma custam dez centavos, então pode ser difícil separar o bom do melhor. Bowerman sugere este lugar para "um delicioso sorvete de chocolate orgânico em Trastevere", acrescentando que faz um "belo trabalho por um cara que está de pé por sua arte".

Osteria FernandaBowerman adora o bistrô elegante do premiado chef Davide del Duca por seu "humor jovem e ambiente descolado", acrescentando que consegue ser tradicional e contemporâneo ao mesmo tempo. Essa combinação vencedora fica clara no menu, que justapõe um clássico bucatini all’amatriciana com pratos mais estudados como “saltimbocca” feito com foie gras, cerejas azedas e sementes de lovage.

Per Me Aninhado entre a Via Giulia e a Via dei Banchi Vecchi, no coração histórico de Roma, o premiado chef Giulio Terrinoni dirige este restaurante focado em frutos do mar, que Bowerman descreve como “sóbrio, mas elegante, sem perder o conforto de casa”. Espere pratos requintados e pós-modernos, como risoto com repolho roxo, maçã picante, ostras e queijo de cabra. O cardápio de tapas no almoço é uma ótima maneira de experimentar alguns pratos sem gastar muito.

ImàgoNo último andar do Hassler Hotel - uma grande dama frequentada por todos, de Grace Kelly a Leonardo DiCaprio - este restaurante com estrela Michelin é uma instituição gastronômica refinada administrada pelo aclamado chef Francesco Apreda. Bowerman adora pela “vista incrível no topo da Escadaria Espanhola”. Ela recomenda pedir o risoto de foie gras e scones com queijo cacio, pimenta e gergelim e os tradicionais pastéis de sfogliatella napolitana.

MetamorfosiColombian chef Roy Caceres dá um toque sul-americano à cozinha italiana neste restaurante com estrela Michelin que Bowerman elogia como "tradicional, mas criativo". Uma refeição aqui é motivo suficiente para se aventurar no elegante Parioli, um bairro nobre ao norte do parque Villa Borghese. “Não perca o‘ antipasta! ’”, Exclama ela.

La Baia di FregeneFederico Fellini possuía uma casa de férias nesta cidade litorânea a cerca de 45 minutos de Roma, e os romanos chiques ainda hoje se reúnem lá para escapar do calor. Bowerman sugere visitar este “lugar incrível na praia de Fregene, com uma mulher na cozinha que lida com centenas de tampas à la minuto”. Este local simples é o lugar para ir para frutos do mar superfrescos, que Bowerman recomenda que você combine com um vinho especial do menu, chamando-o de “o momento mais relaxante da semana”.


O que ver em Roma

É impossível não ver nenhum dos pontos turísticos óbvios de Roma, como o Coliseu, o Fórum Romano e a Escadaria Espanhola. Existem muitas outras atrações fascinantes para observar, muitas delas tão incorporadas à vida cotidiana da cidade que é provável que você tropece por elas enquanto procura por outra coisa.

CASINA DELLE CIVETTE

Um verdadeiro deleite em uma extremidade raramente visitada do espectro do Museu Romano. Esta curiosa loucura de estilo suíço conhecida como Casina delle Civette fica em Villa Torlonia. Esta última é uma antiga propriedade privada a nordeste do centro que foi transformada em um parque público, a primeira serve como um museu da Art Nouveau italiana, vitrais e decoração. Construída em 1840, esta casa de prazer principesca foi reformada em estilo Art Nouveau nas décadas de 1910 e 1920, de modo que o interior se encaixa no seu propósito. Abra Tue-Sun.
Via Nomentana 70, Roma (00 39 06 4425 0072 museivillatorlonia.it).

Leia a seguir

Um guia para visitar Tóquio e os melhores locais olímpicos

GALLERIA BORGHESE

Roma não possui as riquezas pictóricas de Florença e Veneza, mas possui coleções particulares que lançam uma interessante luz lateral sobre a história do gosto e do mecenato. A coleção mais famosa pode ser encontrada na Galleria Borghese, no norte de Roma. A galeria foi reaberta após uma longa restauração em 1998, e suas peças centrais - Bernini & # x27s quase milagrosas Apollo e Daphne escultura, Titan & # x27s Sagrado e Amor Profano, Lucas Cranach & # x27s Vênus e Cupido e uma sala inteira cheia de Caravaggios - agora parecem melhores do que nunca. O parque circundante também é uma delícia e um bom local para um piquenique. Abra de terça a sábado.
Piazzale del Museo Borghese 5, 00197 Roma (00 39 06 32810 galleriaborghese.it).

GALLERIA DORIA PAMPHILJ

Este museu também merece uma visita. Possui uma coleção principesca de obras do século 17 de Caravaggio, Velázquez (incluindo seu retrato inspirado em Bacon do Papa Inocêncio X) e Jan Bruegel, além de importantes peças renascentistas de, entre outros, Titã. Aberto de sexta a quarta.
Piazza del Collegio Romano 2, Roma (00 39 06 679 7323 doriapamphilj.it).

GALLERIA SPADA

A Galleria Spada se destaca não tanto pelo acervo, que é irregular, mas pela bela fachada e pela colunata trompe l & # x27oeil de Borromini no pátio. Abra Tue-Sun.
Piazza Campo di Ferro 13, 00186 Roma (00 39 06 687 4893 galleriaborghese.it/spada/it).

SITES MUSEO NAZIONALE ROMANO

O consenso afirma que os romanos estavam ocupados demais construindo seu império para pensar muito na arte e na beleza. Até recentemente, havia poucas evidências para contestá-lo, exceto no Museu do Vaticano. Mas em junho de 2000, o Museo Nazionale Romano disparou em todos os cilindros e se espalhou por três locais recém-restaurados:
(soprintendenzaspecialeroma.it)

PALAZZO ALTEMPS

Esta parte do Museo Nazionale Romano abriga estátuas de coleções reunidas por quatro das principais famílias aristocráticas de Roma. Muitas das obras foram & # x27 restauradas & # x27 (ou seja, retrabalhadas) por artistas importantes como Bernini e Algardi.
Via di Sant & # x27Apollinare, Roma (00 39 06 683 3566 coopculture.it/heritage.cfm?id=7)

Leia a seguir

Um guia interno & # x27s para Lagos, Nigéria: uma cidade corajosa se tornando cada vez mais forte

PALAZZO MASSIMO

O Museo Nazionale Romano abriga uma coleção variada de bustos, estátuas e moedas nesta enorme pilha do século 19 perto da estação. Seu verdadeiro deleite é uma série animada de pinturas de parede domésticas.
Piazza dei Cinquecento 68, Roma (00 39 06 481 5576).


Ver no mapa

Você pode gostar também

Bom saber

Sobre Premium Europe

Com sede em Zurique, Suíça, nossa empresa foi a primeira agência de viagens de luxo a combinar uma experiência digital com suporte personalizado individualmente. Oferecemos planejamento de férias de luxo com reservas online e serviços 5 estrelas personalizados. Nós o ajudamos a selecionar o melhor internato para seu filho com base em dados combinados com consultas pessoais. Encontramos tratamentos médicos de primeira linha e conectamos você com as melhores clínicas e médicos.

Começamos como uma pequena empresa em 2004 e agora somos uma empresa acionista com 45 assessores e funcionários em todas as áreas. Somos incrivelmente apaixonados por viagens e trabalhamos em estreita parceria com a Suíça Turismo e outros importantes atores do turismo para oferecer aos nossos clientes as melhores experiências possíveis. Fique à vontade para navegar em nossa cobertura da mídia para ver o que podemos fazer por você. Apesar de termos crescido, nossos clientes ainda são tão preciosos para nós quanto amigos e família. Se você estiver em Zurique, visite-nos em nossa sede, adoraríamos discutir suas necessidades enquanto tomamos uma xícara de café!

Peter Zombori
CEO Premium Europe AG, a sua porta de entrada para a Europa luxuosa.

Boletim de Notícias


Os 10 melhores restaurantes da Itália

Massimo Bottura (Alice Jessica North / wikimedia)

No que diz respeito aos estereótipos, aquele sobre italianos e comida é verdadeiro, e há mais: temos orgulho dele. Nós pensamos em comida o tempo todo? Muito mesmo. Somos ótimos cozinheiros? Muitos de nós somos. A Itália é um ótimo destino para os gulosos? Bem & # 8230, claro que é.

Portanto, independentemente da estação, quando você estiver na Itália, a comida deve se tornar uma parte importante da sua viagem: não importa se você está com orçamento limitado ou anda com uma carteira gorda: comida italiana boa, genuína e autêntica está disponível para todos os bolsos. Os restaurantes neste artigo específico, no entanto, são um pouco mais especiais do que outros, pois foram eleitos os melhores do país. A cada ano, o povo da Guia Michelin, elaboram sua própria lista dos melhores restaurantes do país, seguindo critérios como ambiente, atendimento, criatividade e, claro, o sabor dos pratos. Muitos dos chefs liderando-os também foram eleitos os melhores em seu campo por essas mesmas instituições.

A lista mais recente foi tornada pública recentemente e formará o cerne da próxima Guia Michelin 2019. Nele constatamos que existem 367 restaurantes com estrelas Michelin no Bel Paese: 318 com uma estrela, 39 com duas estrelas e 10 com três estrelas. Números surpreendentes, que premiam a Itália com a medalha de prata pela maior concentração de restaurantes apoiados pela Michelin. Itália & # 8217s chef favorito do momento, napolitano Antonino Cannavacciuolo, ganhou uma estrela cada por seu Bistrot em Novara e seu Bistrot em Torino. Isso vem além de seu restaurante mais famoso, Villa Crespi, que já detém duas estrelas.

Ótimos resultados para Cannavacciuolo, mas ele não é o chef com mais estrelas em seu casaco: na verdade, este prêmio específico vai para Enrico Bartolini, que tem seis, distribuídos em 5 restaurantes: 2 em Mudec em Milão, 1 em Casual em Bergamo Alta, 1 em La Trattoria em Castiglione della Pescaia, 1 em Glam em Veneza e a estrela recém-nomeada em Locanda Sant & # 8217Uffizio em Cioccaro di Panengo , perto de Asti.

Mas a maior notícia de todas é, provavelmente, a atribuição de uma terceira estrela a outro dos nossos restaurantes: Uliassi, em Senigallia, liderado pelo chef Mauro Uliassi, pai de uma cozinha bem enraizada nos sabores dos peixes locais, mas também com uma queda por pratos de caça deliciosos e deliciosos.

Uma conquista incrível para a Itália e uma grande satisfação para todos os italianos. Mesmo que já saibamos que somos bons na cozinha, com estrelas Michelin ou não!

E aqui estão eles, nossos dez magníficos, começando pelo membro mais jovem da tripulação, até o mais famoso de todos eles, pelo menos internacionalmente, Massimo Bottura & # 8217s Osteria Francescana.

Boa leitura e, claro, buon appetito!

10. Uliassi (Senigallia, Ancona)

A mais recente entrada no restaurante três estrelas do reino da Itália & # 8217s, Uliassi & # 8217s abriu suas portas pela primeira vez em 1990 graças aos esforços do chef Mauro Uliassi e sua esposa Catia. Bem localizado entre a praia e o porto, a vista e o ambiente combinam perfeitamente com a comida maravilhosa. Peixes, como seria de esperar tão perto do mar, mas também caça por & # 8220 razões culturais & # 8221 dizem os proprietários. Consideram a sua cozinha simples mas muito contemporânea, porque utiliza todas as tecnologias e técnicas mais recentes, mantendo-se muito enraizada na tradição culinária da região.

Conhecido por: seus pratos de peixe como o Rimini Fest, um calamaretti ou espeto de lula jovem, esfregado com alho e depois enrolado em salsa, alho e pão ralado com infusão de alecrim, assado em carpano carbonella. Quando acabado de sair do fogo, é ainda aromatizado com um molho à base de azeite, gengibre, alho e limão, mas não da forma tradicional. O curativo é & # 8220iced & # 8221 e se transformou em pequenas gotas sólidas, deixando-o gotejar lentamente no nitrogênio.

Preços: menu de 120-150 euros. À la carte: euro 91-128

Banchina di Levante 6, Senigallia

9.St. Hubertus (San Cassiano, Bolzano)

Quando você decidir visitar Saint Hubertus, você entrará para uma grande surpresa. O Hotel Rosa Alpina, que abriga o restaurante Saint Hubertus, está lindamente localizado nas Dolomitas italianas e oferece hospedagem, um ambiente familiar e, claro, seu restaurante três estrelas Michelin, habilmente orientado pelo chef Norbert Niederkofler. Aqui, você encontrará massas caseiras, cortes de carne fresca típicos de Val Badia, queijos de fazenda, todos usados ​​para preparar pratos alpinos que aquecem o coração. Pinho da montanha, flor de zimbro e especiarias locais são cuidadosamente selecionados entre os produtores da área para criar pratos deliciosamente únicos, mas tradicionais.

Conhecido por: seus sabores complexos e inspirados na tradição e a atmosfera de sonho de sua localização.

Preços: menu de 200 a 300 euros.

Strada Micura de Rue, 20 San Cassiano

8. Da Vittorio (Brusaporto, Bergamo)

Família administrada pelos Cereas, Da Vittorio existe desde 1966. Obteve a primeira estrela Michelin em 1978 e a segunda em 1996. No início dos anos 2000, o restaurante passou a fazer parte do circuito Relais Gourmand, após a mudança para uma nova localização em Brusaporto, na bela paisagem verde da Cantalupa, e com a inauguração de um hotel, também se juntou aos circuitos Relais & ampChateau e Les Grandes Tables du Monde. A terceira estrela Michelin veio em 2010. Como disse, o Da Vittorio também é um hotel, por isso pode ser um local perfeito para uma parte das suas férias.

Conhecido por: pratos de peixe como o & # 8220gran fritto misto di crostacei, pesci, frutta e verdura & # 8221 e por suas especialidades vegetarianas.

Preços: menu de 80 euros (para almoços de segunda a sexta) a 280. Menu à la carte: de 117 euros a 472.

Via Cantalupa 17, Brusaporto (BG)

7. Enoteca Pinchiorri (Firenze)

Inaugurado por Giorgio Pinchiorri e pela chef francesa Annie Féolde em 1972, Enoteca Pinchiorri é uma instituição de Florença. Giorgio Pinchiorri, mais sombrio de formação, primeiro dirigiu, depois comprou a Enoteca Nazionale em Florença, onde costumava servir os melhores vinhos italianos e franceses. Foi para acompanhá-los que a sócia de Pinchiorri & # 8217s, Annie Féolde, começou a criar lanches e pratos leves. O resto é história: restaurantes irmãos foram abertos em Tóquio (1992) e Nagoya (2008). Féolde foi também a primeira chef mulher a receber três estrelas Michelin em Itália.

Conhecido por: seus vinhos incríveis, a fantástica mistura entre a cozinha francesa e italiana e seu ambiente atemporal.

Preços: menu de 150 a 275 euros. À la carte: de 180 a 340 euros.

Via Ghibellina 87, Firenze

Vitela com porcini e tortino de batata, servida na Enoteca Pinchiorri (Jun Seita / flickr)

6. Dal Pescatore (Canneto sull & # 8217Oglio, Mantova)

A família Santini & # 8217s Está na origem do grande sucesso deste restaurante, inaugurado há exatos 90 anos, em 1925, quando Antonio Santini, um pescador, e sua esposa, Teresa Mazzi, decidiram abrir um negócio juntos. Faz parte do circuito Relais Gourmand desde a década de 1990, bem como da Tradition et Qualité e Les Grandes Tables du Monde, Dal Pescatore é, ainda hoje, uma empresa totalmente familiar.

Um verdadeiro ícone da culinária italiana e de como as empresas familiares ainda podem ser fortes nos dias de hoje.

Conhecido por: serviço e ambiente fantásticos, pratos profundamente enraizados na tradição culinária do norte da Itália e da Pianura Padana.

Preços: À la carte: de 109 a 250 euros.

Località Runate, Canneto sull & # 8217 Oglio (MT)

5. Piazza Duomo (Alba, Cuneo)

Piazza Duomo é liderado por famoso chef italiano Enrico Crippa e, como muitos dos restaurantes apresentados neste artigo, combina com sucesso tradição e inovação. A marca Piazza Duomo expandiu-se recentemente para o mundo da hospedagem: um pequeno, mas luxuoso hotel (três quartos e uma suíte) pode ser reservado no mesmo prédio do restaurante. Eles foram estudados especificamente para todos os gourmets que viajam para Alba para visitar a Piazza Duomo e podem desfrutar de uma estadia mais tarde. A Crippa também abriu, sempre em Alba, La Piola, um restaurante em estilo trattoria, onde pratos tradicionais piemonteses são servidos durante toda a semana.

Conhecido por: sua localização histórica, seu chef conhecido, seu estilo de cozinha Japão encontra Itália.

Preços: menu de 220 a 250 euros. À la carte: de 145 a 245 euros.

Vicolo dell & # 8217Arco 1, angolo Piazza Risorgimento 4, Alba

4. Reale (Località Casadonna, Castel di Sangro, L & # 8217Aquila)

A cozinha criativa de seu chef único, Niko Romito, fez Reale um dos melhores restaurantes do país. Cozinheiro autodidata, as receitas de Romito & # 8217s são o resultado de sua própria curiosidade infinita por novos sabores e combinações. A comida Reale & # 8217s foi definida como tradicional, mas reduzida aos seus sabores mais puros.

O Ristorante Reale está associado ao belíssimo e luxuoso hotel Casadonna.

Conhecido por: sua redescoberta da culinária italiana central, transformada em uma experiência gastronômica exclusiva.

Preços: menu do euro 140-190. À la carte: de 100 a 160 euros

Contrada Santa Liberata, località Casadonna, Castel di Sangro

3. Le Calandre (Rubano, Pádua)

Le Calandre& # 8216s chef, Massimiliano Alajmo, foi o chef mais jovem a receber uma terceira estrela Michelin, com a idade muito jovem de 28 anos (em 2002). Sua cozinha é inovadora e criativa. A apresentação de seus pratos beira o artístico. O restaurante foi inaugurado em 1981 pelos pais de Alajmo & # 8217s e está listado entre os 50 melhores restaurantes do mundo. Toda a experiência gastronômica no Le Calandre certamente surpreenderá os clientes: da decoração para a casa às fragrâncias, da baixela à mobília, tudo foi concebido pelos irmãos Alajmo e produzido pelos melhores artesãos e artesãos da Itália. Caso você queira experimentar a cozinha Alajmo & # 8217s, mas sem os preços com estrelas Michelin, você pode escolher Il Calandrino, um adorável bistrot próximo, supervisionado e dirigido pelo próprio chef.

Conhecido por: seu ambiente, sua singularidade, sua culinária, que abraça todos os sentidos.

Preços: menu de 135 a 225 euros. À la carte: de 135 a 170 euros

Via Liguria 1, Località Sarmeola, Rubano

2. La Pergola dell & # 8217Hotel Rome Cavalieri (Roma)

La Pergola é o reino do chef conhecido mundialmente Heinz Beck. Localizado dentro do Waldorf Astoria Group & # 8217s Hotel Rome Cavalieri, tudo relacionado a este restaurante fala de excelência.

Beck é um dos chefs mais consagrados do mundo e sua presença no La Pergola desde 1991 fez deste restaurante um dos destinos favoritos dos gourmets em todo o mundo. A culinária de Beck & # 8217s é criativa e inovadora: formas, texturas e sabores são justapostos em um padrão nada comum, para criar uma verdadeira experiência de alta gastronomia. O restaurante, situado no último andar do Hotel, permite-lhe saborear a beleza de Roma de cima, uma experiência que já vale (bem, pelo menos em parte) o preço do seu jantar. Seu interior é ricamente decorado com obras de arte e antiguidades, todas contribuindo para criar uma experiência gastronômica incrível. Lembre-se de que o La Pergola só serve jantar e que, claro, fazer reserva é imprescindível.

Conhecido por: seu chefe de cozinha, seu fascínio de alta cozinha.

Preços: menu euro 225. À la carte: euro 135 a 239.

1. Osteria Francescana (Modena)

Osteria Francescana é considerado o melhor restaurante do mundo há alguns anos. Entra no rei dos restaurantes de acordo com os críticos. Os criativos de Bottura e # 8217s, às vezes acima das produções culinárias de topo, estão todos aqui: de espuma de mortadela e peixe gelificado ao parmesão apresentado com quatro texturas em um prato. Tudo aqui para os clientes experimentarem. Bottura oferece, além de suas delícias de vanguarda, também clássicos mais tradicionais da culinária italiana, então deve haver algo realmente para todos.

Conhecido por: sendo o restaurante de um homem considerado o melhor chef do mundo.

Preços: do menu de 250 a 270 euros. À la carte: de 185 a 315 euros.

Um banquete para os olhos, um banquete para a boca, servido na Osteria Francescana (advencap / flickr)

Gostou deste artigo? Em seguida, verifique o Melhores restaurantes em Roma, Milão e Florença.


20 restaurantes que você precisa experimentar em Roma em 2020

Por tudo o que pode ser dito sobre Roma nos dias de hoje, uma coisa é certa: sua cena de bebidas e jantares está prosperando. Novos restaurantes gourmet, bares de vinho naturais e pizzarias contemporâneas parecem surgir diariamente na Cidade Eterna - cada um com sua própria tradição culinária e design moderno de meados do século.

Aqui, reunimos os 20 melhores restaurantes para experimentar em Roma em 2020 (listados em ordem alfabética). E se você estiver procurando por ainda mais ideias, dê uma olhada nos 19 restaurantes apresentados na lista do ano passado.

Elegante e sofisticado, com pouca iluminação e paredes escuras com painéis de madeira, o All'Oro com estrela Michelin serve como a tela perfeita para uma refeição gourmet criativa. Riccardo Di Giacinto, um chef de vanguarda com talento para criar experiências gastronômicas envolventes, usa adereços fantasiosos como batedeiras de cozinha, um espelho de mesa e carrossel infantil para adicionar um toque de magia aos seus pratos cheios de sabor. Para uma surpresa inesperada, experimente “All’erbiv’Oro”, um menu de degustação vegano que destaca seu talento para a inovação. Os wontons de banana, servidos com pipoca caramelizada e creme de coco, são uma das sobremesas mais intrigantes da cidade.

All'Oro é um restaurante com estrela Michelin situado dentro do The Ha'll Tailor Suite, a poucos passos de um hotel de luxo. [+] da Piazza del Popolo.

Você pode voar para a Europa neste verão dos Estados Unidos?

Como viajar para a França neste verão, o que está aberto e o que esperar

A Suécia estende as restrições de viagens durante o verão, mas dá as boas-vindas aos visitantes nórdicos

Quando Alba Esteve Ruiz deixou sua posição como chefe de cozinha da Marzapane em 2018, mentes questionadoras queriam saber onde o talentoso chef espanhol iria parar em seguida. A resposta é Antica Fonderia, um restaurante refinado na Via del Pellegrino que oferece pratos típicos grelhados, defumados e cozidos em fogo aberto. Cada ingrediente é tingido pelas chamas, de cordeiro e lagosta a vegetais como bok choy, homenageando métodos de cozimento ancestrais e adicionando um sabor profundo. Não deixe de pedir um dos clássicos do Alba, risoto com anchovas da Cantábria e gengibre cristalizado - também disponível no menu de degustação.

A gastronomia de Alba Esteve Ruiz é marcada pelo uso do fogo para preparar deliciosos pratos. Imagem: selvagem. [+] javali com abóbora e chocolate preto.

Lar de magníficos palácios e vilas urbanas, Roma é única em sua capacidade de oferecer um pano de fundo cultural para muitas de suas experiências culinárias e o Café Colbert pode ser um dos melhores exemplos. Situado na Villa Medici do século 17, a sede da Academia Francesa em Roma (localizada acima da Escadaria Espanhola), Colbert é um café descontraído com vistas invejáveis ​​dos telhados da cidade e salas de jantar repletas de estátuas. Pare para uma salada saudável ou um sanduíche gourmet no almoço - ou desfrute de uma taça de vinho no charmoso jardim de limões. O Café Colbert está aberto até às 18h30.

O Café Colbert, localizado dentro da Academia Francesa de Roma, é um dos restaurantes mais exclusivos da cidade. [+]. [+]

Um dos segredos mais bem guardados de Roma, o Chorus Café é um elegante bar de coquetéis, lounge e restaurante no primeiro andar do Auditorium della Conciliazione, uma sala de concertos inaugurada pelo Papa Pio XII em 1950. A poucos passos do Vaticano, com opulentos detalhes em mármore, é um local exclusivamente romano que atrai personagens que você veria em “La Grande Bellezza”Filme: os moradores se reúnem aqui para coquetéis artesanais ou jantar antes do DJ set começar e o local se transformar em uma boate glamorosa.

Esfregue-se com os moradores abastados de Roma no Chorus Café, um bar de coquetéis chique e casa noturna nas proximidades. [+] Vaticano.

Invejavelmente central, com decoração de bom gosto e um punhado de mesas ao ar livre durante os meses de verão, Clotilde é um restaurante chique que defende pratos locais sazonais e o movimento Slow Food. O menu propõe um toque de culinária country e transforma receitas rústicas da região de Ciociaria, no sul da Lazio, em pratos refinados. Procure combinações criativas como canelones de carne com fondue pecorino e trufas negras ou pudim panna cotta de lavanda com calda de caqui e castanhas.

Situada na Piazza Cardelli, perto da Piazza Navona, do Panteão e do Rio Tibre, Clotilde é uma das preferidas. [+] com empresários e advogados da cidade.

Localizado dentro da Villa Laetita, uma residência elegante da virada do século no bairro de Prati, o Enoteca La Torre é indiscutivelmente o restaurante mais bonito de Roma. A sala de jantar possui janelas art déco do teto ao chão que iluminam estuques intrincados e cada prato é um banquete para os olhos - e paladar. Dirigido por Domenico Stile, um dos chefs mais jovens de Roma com estrela Michelin, o restaurante funde os sabores de sua Campânia nativa com toques de umami, vegetais amargos ou frutas para combinações criativas. Experimente o linguado com alcachofra, maçã e licor Cynar ou vitela “saltimbocca” com chicória, alcaçuz e Chablis.

A Villa Laetitia é uma residência histórica de propriedade da família Fendi Venturini e abriga um hotel e. [+] Restaurante com estrela Michelin.

Depois de deixar sua posição de prestígio no restaurante Imàgo do Hotel Hassler no ano passado, o chef Francesco Apreda estabeleceu novas raízes em Idylio dentro do Pantheon Iconic Hotel. The Neapolitan chef takes inspiration from his time spent in India and Japan to create tasting menus that express his mastery of aromas and technical skills in the kitchen. Apreda infuses his dishes with algae or dashi, creating intricate and subtle flavors that have won his new restaurant its first Michelin star. The zesty angel hair pasta with garlic, oil, chili flakes and smoked eel is one of the chef’s classics.

Idylio by Apreda is located on the ground floor of the Pantheon Iconic Hotel. Picture: quail . [+] ravioli, carbonara style.

In the past few years, Rome has seen a revival in quinto quarto, the city’s offal tradition, and Jacopa fits squarely within this trend. A contemporary restaurant that stands out from the historic trattorias of Trastevere, Jacopa will delight adventurous palates with its modern approach to sweet breads, snails and rabbit – though you can also find creative interpretations of classics like roasted pork with potatoes and sprouts, or tender beef with shallots and cauliflower. The wine list features an interesting selection of natural and biodynamic labels.

Jacopa has a cocktail bar and serves a decadent brunch on Sundays. Picture: monkfish with lettuce, . [+] asparagus and escarole.

La Regola, an old-school trattoria that reopened last year under new ownership, serves up traditional Roman dishes with a contemporary twist. Located in a sleepy piazza minutes from Campo de’ Fiori, La Regola is a great place to enjoy homemade pastas and local wines in the heart of Rome. Appetizers include a fried egg with pecorino cream and truffle pearls or julienned squid with mango mayonnaise, and the pastas cover Roman classics and include creative options like ravioli with thyme and vin brulé caramelized onions.

Tonnarelli cacio e pepe, bucataini all'amatriciana and carbonara all make an appearance on the menu . [+] at La Regola.

Steps from the Vatican Museums but spared its heavy foot traffic, Magazzino Scipioni is one of the best places to enjoy wine in Rome. An enoteca, bottle shop and restaurant set within an old warehouse, the industrial space is lined with hundreds of bottles from around the world. You can enjoy a tasting flight, order wines by the glass or pick a bottle off the wall (with no corking fee) to pair with Italian charcuterie, French cheeses or creative pastas. Magazzino Scipioni is open from lunch till late so it’s a nice place to unwind after touring the Vatican, or after dinner for a taste of dessert wines, too.

Magazzino Scipioni hosts a number of wine tastings throughout the year: sign up for the newsletter . [+] to hear about upcoming events.

Tucked along a quiet street in the center of Rome, Per Me is a boutique Michelin-starred restaurant that is curated but relaxed – Giulio Terrinoni, the chef himself, pops out of his open-view kitchen to greet his guests throughout the meal. The restaurant is an excellent choice for fish and seafood lovers, with cuttlefish tagliatelle, sea-bream carpaccio and scorpion fish on the menu. Terrinoni can also create succulent plant-based dishes if you call ahead. On weekdays, stop by for a taste of gourmet "tappi" (tapas) at lunch featuring prawn sandwiches, cacio e pepe spaghetti with anchovies and orange powder, or tortellini with fennel cream.

Per Me is one of the few Michelin-starred restaurants with street-side seating in Rome, immersing . [+] you in the full magic of la dolce vita.

Widely considered Rome's most consummate host, Alessandro Pipero is a household name among the city’s elite who flock to the elegant restaurant for a taste of its storied carbonara. The restaurant has been celebrated for years – it was awarded a Michelin star in 2012 – but it keeps reinventing itself. After relocating to Corso Vittorio Emanuele and welcoming a new chef, Pipero’s enduring popularity proves that classics only get better with time. Today, chef Circo Scamardella revisits traditional recipes and turns them into enticing dishes like vanilla ravioli with scallops or bavette noodles with cod and miso. Save room for dessert: the crêpes suzette flambéed table side are delicious.

Pipero is an elegant restaurant located along the bustling Corso Vittorio Emanuele. Pictured: . [+] lettuce "like a stuffed escarole".

Proloco Trastevere, a trattoria and pizzeria that exalts Lazio’s culinary traditions, is a haven for foodies who are passionate about provenance and sustainability. Owned by Vincenzo Mancino, the creator of the DOL brand (Di Origine Laziale di Roma), the restaurant serves dishes made with local ingredients hand-picked from producers in the region. Start with an order of roasted artichokes before biting into a perfectly al-dente plate of amatriciana with tender guanciale or slow-cooked meatballs in a bright tomato sauce. Proloco Trastevere also serves gourmet pizzas, baked in a wood-fire oven, and hosts a “Country Brunch” on Sundays.

Set on three levels, Proloco Trastevere is great for groups and a nice place to enjoy a cocktail at . [+] the bar before dinner.

One of the most stylish openings in Rome last year, Reserva Restaurante is an eye-catching restaurant and cocktail bar that serves South and Central American cuisine. Helmed by Paulo Aires, a Brazilian chef, it has a dynamic team from Colombia, Peru and Uruguay – capturing the tantalizing flavors of Latin recipes. The meat and fish dishes are excellent, from the pork belly tacos and Argentinian Angus beef to the ceviche, while vegetarians can enjoy guacamole freshly made at the table and quinoa tossed with pickled vegetables. Reserva is also a great place to while the night away sipping pisco sours at the bar.

If you're looking for international flavors, Reserva Restaurante serves dishes inspired by South and . [+] Central American cuisine.

After launching RetroBottega in 2016, a pioneer in the capital’s contemporary dining scene, founders Giuseppe Lo Iudice and Alessandro Miocchi have continued to create new ways to eat and drink in Rome. Last year, they opened RetroPasta, a fresh pasta shop where you can pick up tortellini and ravioli – and RetroVino. In just a matter of months, this tiny wine bar and bottle shop is already teeming with visitors who want a taste of the RetroBottega format in a more casual space. Grab a seat at the bar and pair a glass of natural wine with creative small plates, including foraged salads, pickled vegetables or cheese tasting boards.

RetroVino is located behind RetroBottega on Via d'Ascanio, close to the Pantheon and Piazza Navona.

As you step into Ristorante 1978, you’ll feel as if you’re stumbling into a scene from Alice in Wonderland. The restaurant is located behind a bright red door in Rome’s Nomentano district and the whimsical atmosphere makes for an unforgettable evening. With only seven tables, it’s an intimate space with a speakeasy flair – making you feel as if you’re dining in someone’s private home. Sit at a table near the open kitchen where you can see the young MasterChef winner, Valerio Braschi, create dishes such as squid ink gnocchi with pumpkin and black lime, or roasted octopus with spicy Calabrian sausage and mustard gelato.

Ristorante 1978 is located right in front of the Villa Torlonia gardens and provides a shuttle . [+] service for guests who dine at the restaurant.

Pizza and bubbles are one of the world’s most delightful food pairings - especially if the bubbles are of the wine variety. Prosecco, Lambrusco and Franciacorta all serve as a perfect palate cleanser for the cheese and dough and are the perfect accompaniment for a fragrant pie. Sant’Isidoro, a stylish new pizzeria in the Prati district, has carefully studied this alchemy and serves up gourmet, Neapolitan pizzas along with sparkling cocktails and a wine list of over 100 labels, including natural wines and vintage champagnes.

Sant'Isidoro serves classic pies, like margherita and marinara, along with creative pizzas like . [+] cacio, pere e vino (buffalo mozzarella, provolone del monaco, stilton, parmesan, grilled pears and cooked grape must).

Pigneto is often referred to as Rome’s “Brooklyn” and like its American counterpart, the neighborhood has experienced a surge of popularity in the past few years. For a peek into this vibrant quartiere, head to Va.Do., a cozy bistro with Italian and international dishes. The menu is extremely varied and serves everything from Roman classics to Thai, Indian and Japanese-inspired recipes. You’ll find tuna tataki with leek, soy sauce and ginger, along with spring rolls stuffed with tofu and vegetables with a vegan aioli sauce.

For a taste of international cuisine, head to Va.Do. and order dishes like Chicken Mumbai: curried . [+] chicken cooked in coconut milk with toasted almonds and basmati rice.

Piazza Vittorio is most commonly associated with its colorful ethnic markets, street food stands and Chinese shops, but a new wave of openings is set to raise the neighborhood’s profile. Vittorio Spezie e Cucina, a shabby-chic cocktail bar and restaurant, offers great food in a beguiling atmosphere. The décor seems inspired by Morocco, with vaulted ceilings and walls painted in shades of turquoise, red and yellow, but the food is decidedly Italian. You’ll find Roman fritti, bruschetta and contemporary pastas plus wood-fired pizzas on the menu.

Vittorio is set across multiple dining rooms and halls, each decorated with vintage furnishings and . [+] antiques.

For a taste of authentic Roman pizza, fondly referred to as la scrocchiarella for its crunchiness, head to 180 Grammi in the Centocelle neighborhood. Unlike Neapolitan pizza with a pillowy crust, Roman-style pizza is thin and crispy – and 180 Grammi has locals raving about its pies. The pizzas are baked in a convection oven to ensure even cooking, and the dough is stretched out by hand, rather than with a rolling pin, adding more texture to the base. Start with an order of fried cannelloni, served with lasagna sauce, before biting into a margherita or diavola with spicy sausage. It’s a popular spot so be sure to book in advance.

180 Grammi is located in Centocelle, past Pigneto, in eastern Rome - you can reach it on the Metro C . [+] line.


The 10 best restaurants in Rome

If you were visiting a well-heeled, globetrotting uncle with a pied à terre somewhere near Piazza Navona (you are?), he’d probably take you for lunch at Pierluigi. The ultimate ‘posh’ Roman trattoria, it was chosen by Mark Zuckerberg and Priscilla Chan for a honeymoon dinner in May 2012, and Barack Obama, Hillary Clinton and John Kerry have all eaten here while in Rome on official or informal visits – it’s that kind of place. Occupying one side of pretty, cobbled piazza, it’s a delightful venue for an al-fresco lunch, and could very well rest on its comfortable laurels. But, impressively, it doesn’t. A 2010 makeover piloted by long-time owner Lorenzo Lisi gave Pierluigi a jewel of a cocktail bar, one of the few true examples of the genre in any Roman restaurant, and the hiring of dynamic young chef Davide Cianetti in 2014 upped the game in the kitchen. His approach is to use the freshest ingredients on a menu that pairs Pierluigi classics such as beef fillet with lemon – slow-cooked for 24 hours and served in carpaccio-thin slices – with more creative forays including orecchiette with turnip greens, cuttlefish ragout and taralli crisps. Squeaky-fresh raw seafood features prominently among the starters – match it with a mixed salad with fresh pears, pecorino cheese and pomegranates – a pretty, Impressionist canvas for the ultimate supermodel lunch.

Piazza de’ Ricci 144, Campo de’ Fiori, Rome (00 39 06 686 8717 www.pierluigi.it). Open daily. Around €120 for two without wine.

Top traditional trattoria next to the Pantheon

The search for the perfect, family-run Roman trattoria ends here. And the fact that Armando is right next to the Pantheon, in the heart of the centro storico, is the icing on the cake. It was opened by Armando Gargioli in 1961, and soon became a magnet for lovers of traditional Roman cooking. Today the trattoria is managed by Armando’s affable sons Claudio and Fabrizio (in the kitchen) (in the kitchen) and Fabrizio (who takes orders), abetted by Claudio’s multi-lingual daughter Fabiana, who is in charge of the orders while also looking after the refreshingly refined (but also well-priced) wine list. There’s just one room beyond the charming marigold stained-glass windows at the entrance – but what a lovely room, an elegant Roman snug lined with the framed paintings and sketches of artistic clients, where local politicians, office workers, artists and clued-in visitors mingle in a conspiracy of pleasure at just being here. The menu includes Roman classics such as spaghetti all’amatriciana or alla gricia (a tomato-less amatriciana), many of them seasonal (spring salad of puntarelle, asparagus chicory, in anchovy sauce), or only available on certain days of the week – if it’s Thursday, it must be coda alla vaccinara (oxtail stew). But the culinary touch is lighter than is usual for Rome there are several fish dishes, especially on Tuesdays and Fridays, and vegetarians are well catered for.

Armando al Pantheon, Salita de’ Crescenzi 31, Pantheon, Rome (00 39 06 6880 3034 armandoalpantheon.it). Closed Saturday evening and all day Sunday. About €80 for two without wine.

Stellar seafood in Centro Storico

After flying under the radar for many years, today Giulio Terrinoni is one of the brightest celestial objects in the Roman culinary firmament and in his new centro storico restaurant he continues to dazzle. Terrinoni opened this intimate 30-cover den just off via Giulia in November 2015 after a nine-year stint at Acquolina Hostaria in the northern suburbs. The ambience is both simple and elegant, rather like Terrinoni’s cuisine: beyond the kitchen-view bar, white walls and dark mahogany tables, chairs and banquettes set the tone, with a single cut flower on each table providing the only splash of colour. Three tables outside in the cobbled lane make for a lovely (and much in demand) warm-weather alternative to the inner sanctum. In these new premises, Terrinoni has opened out, a little, to the meatier traditions of his native Fiuggi, though seafood still takes centre-stage. A roasted cuttlefish starter – served with sea urchins, dipped in bagna cauda sauce placed aside a Jerusalem artichoke – sums up his approach: market-fresh ingredients, strong, individual, honest flavours, combinations that work because they don’t try to submerge the component parts. It can be playful – as in the main-course rana pescatrice (angler-fish), deconstructed into a four-serving ‘culinary day in Rome’ – but mostly it’s just plain good. The affable but knowledgeable service helps, as does the fact that in Giulio Bruni, Per Me has one of Rome’s most promising young sommeliers. Best of all, though, is the fact that you get to choose your own tasting menu from the à-la-carte selection: the four-course route is one of the city’s great gourmet bargains at €85, and although the €55 add-on for four wines by the glass may seem less of a deal, it’s actually well worth the punt given the quality of Bruni’s selections. From Monday to Saturday, a cheaper lunch menu revolves around a choice of tappi (Terrinoni’s Italian homage to Spanish tapas) or gourmet-traditional dishes such as baccalà casserole.

Per Me, Vicolo del Malpasso 9, Campo de’ Fiori, Rome (00 39 06 687 7365 www.giulioterrinoni.it). Open daily for lunch and dinner. Tasting menu €85

The ultimate Roman deli-restaurant in Campo de’ Fiori

This via dei Giubbonari culinary magnet is basically a food shop with tables. But what a food shop. On the left is a deli counter heaving with artisanal salamis, cheeses and smoked fish, on the right a wine cellar – or part of it, at least – with bottles stacked high on metal shelves. A few two-seaters allow you to admire the mozzarella and mortadella action out front more tables are crammed into the intimate main space behind, with its exposed brick walls, and a downstairs dining room (not our favourite space, as it feels removed from the Roscioli buzz). Run by brothers Alessandro and Pierluigi Roscioli, this was the first, and is still the best, of a handful of Roman deli-restaurants. Dishes can be as simple as Cantabrian anchovies on buttered toast (is there anything better?) others riff on a key ingredient – thin slices of foie gras, served with sweet-and-sour onions marinated in spice-spiked raspberry vinegar. Then there are the Roman classics just like mamma makes, but made with ultra-refined ingredients – so a carbonara sauce, for example, is prepared with guanciale bacon and pecorino romano cheese, Malaysian black pepper, and eggs supplied by Italian organic egg guru Paolo Parisi. Regulars know that what’s written on the carta is just a suggestion one good friend of mine makes a point of never, ever ordering anything here exactly as it appears on the menu.

Roscioli, Via dei Giubbonari 21, Campo de’ Fiori, Rome (00 39 06 687 5287 www.salumeriaroscioli.com). Fechado ao Domingo. About €100 for two without wine.

High-end gourmet in Campo de’ Fiori

Born in France to southern-Italian parents, chef Anthony Genovese has achieved the rare feat (at least in Italy) of making an innovative, experimental urban restaurant a fixed point on the nation’s gourmet map. After a roving apprenticeship that took him from Nice to the UK, Tokyo, Malaysia and Thailand, he opened his own place in the heart of Rome’s centro storico in 2003. It was good back then and has only got better – on the design front too, with the clown-themed original interior giving way to today’s small, sober and informally smart space where vintage floor tiles, brass-hued ventilation ducts and designer paper lanterns provide the perfect setting, warm but with a touch of zen, for serious Genovese cuisine. The seasonally changing menu has become a little less ‘fusion’ in recent years, but still challenges the orthodoxies of Italian culinary tradition in dishes including amaranth-grain spaghetti with sea urchins and mantis shrimps, a fascinating play of bittersweet flavours. The spectacular desserts, made by pastry chef Thierry
Tostivint, deserve a review of their own, and the absorbing wine list, presented by award-winning maître d’ and sommelier Matteo Zappile, has interesting smaller producers mixed in with the big names. At €75, the three-course lunch menu (chosen by the chef, but you can make requests and signal no-nos) is a bargain, especially as it ends up being more like six courses. For the full Pagliaccio experience, opt for one of the eight-course (€150) or 10-course (€155) menus, available both at lunch and dinner.

Il Pagliaccio, Via dei Banchi Vecchi 129a, Campo de’ Fiori, Rome (00 39 06 6880 9595 www.ristoranteilpagliaccio.it). Closed all day Sunday and Monday also Tuesday at lunch. About €150 for two without wine

Real Roman cooking at a traditional Testaccio trattoria

Tourists head for Trastevere, but locals know that Testaccio – the solidly plebeian area of grid-plan streets just south of the Aventine – is the place to come for real Roman cooking. Da Felice has been serving down-home cucina romana por anos. The original owner, the late Felice Trivelloni, used to put 'reserved' signs on all the tables so he could turn away anyone he didn't like the look of to get in back then, it helped to have an introduction from a market trader or a streetsweeper – aristocrats in Felice’s anarchic worldview (one of the few non-locals to get a free pass was actor-director Roberto Benigni). Now run by his son Franco, this corner trattoria has had a makeover (exposed bricks, burnished bar, industrial-chic lights) and gained an impressive wine list. But the menu is just as Roman as ever, with classics including bucatini allɺmatriciana (hollow spaghetti in a sauce of tomatoes, onion, pancetta and pecorino cheese) and abbacchio al forno con patate (roast lamb with potatoes). Another highlight is the tonnarelli cacio e pepe – chunky strands of egg-rich pasta mixed with a dressing of crumbly sheep's cheese and black pepper at your table. Finish with tiramisù, served in a glass. Book well ahead: it's so popular they don't need to play around with 'reserved' signs any more.

Da Felice, Via Mastro Giorgio 29, Testaccio, Rome (00 39 06 574 6800 www.feliceatestaccio.it). Open daily. About €85 for two without wine.

Top-notch pizzeria worth the schlep to Monteverde

Yes, it's a pizzeria – but not any old pizzeria. In suburban Monteverde Nuovo (take the number 8 tram from central Piazza Venezia to the end of the line), the 'Greedy Cat' serves up gourmet versions of Italy’s most famous street food. Extra-virgin olive oil, smoked mackerel and edible flowers are among the ingredients used by owner and self-defined 'pizza engineer' Giancarlo Casa. But it's not just the toppings that ring the changes. Casa uses special flours and longer fermentation times than most pizzerias to ensure that the pizza base is crunchy on the outside, light and airy within. Specialities include the dolceforte with ricotta, pan-tossed courgettes, anchovies, pesto and shavings of tangy pecorino romano cheese. It also does a high-class takes on other Roman pizzeria staples such as bruschettas and supplì (fried-rice croquettes), plus a handful of pasta dishes (check the daily specials), good salads and meaty secondi. Craft beer is the lubricant of choice, but there’s also a decent wine list. The atmosphere is noisy and cheerful, the decor of the sunny trattoria variety, with a feline motif reflecting the restaurant's name. Romans have taken to it, so book before you schlep all the way out here.

La Gatta Mangiona, Via Federico Ozanam 30, Monteverde, Rome (00 39 06 534 6702 http://www.lagattamangiona.com). Open daily, evenings only. About €45 for two pizzas and two salads.

Good-value gourmet in charming Trastevere

Few of the creative Roman restaurants that opened in the 1990s have proved as consistently popular as Antico Arco. On the Gianicolo hill, not far from the lovers’ belvedere in front of the Fontanone fountain that featured in the film La Grande Bellezza, the restaurant has no view and no outside tables, but what's inside more than makes up for that. With its cream-painted brick walls, subtle lighting and sober, high-backed chairs, this relaxed yet serious haven of good food and wine is as warmly intimate and unshowily contemporary as the cooking by current chef, Albanian Fundim Gjepali. It is a slow-food tour of Italy based on obsessively sourced raw materials. Alongside evergreen classics including risotto al Castelmagno con riduzione di Nebbiolo, with its Piedmontese pairing of Castelmagno cheese and Nebbiolo wine, Gjepali has introduced nods at the shepherding and foraging traditions of his homeland – notably in a delicious lamb garnished with Juniper herbs. Desserts such as the caramel coated pears are, alas, irresistible even if you couldn't possibly. Wine is the restaurant's other forte: sommelier Domenico Caliò is constantly on the lookout for little-known gems, which can also be sampled pre- or post-meal in the restaurant’s atrium, a small but cute wine-bar. Book at least three or four days ahead.

Piazzale Aurelio 7, Trastevere, Rome (00 39 06 581 5274 www.anticoarco.it). Open daily. About €150 for two without wine.

Top-notch fine dining in Parioli for foodies in the know

It’s way out in the suburbs. There are no outside tables. The decor is beige and brown. One of the dishes is served on a pebble. But keep reading – because the culinary testing ground of talented Colombian chef Roy Salomon Caceres is one of the first Roman addresses visiting gourmets should cross off their list. Located in Parioli, a well-heeled northern district, this hushed dining room espouses a kind of Japanese-influenced oatmeal modernism. Tables are well-spaced, all the better to focus on Caceres’ beautifully presented food, which is ably served and illustrated by friendly maître d’ Alessandro D’Andrea and capable sommelier Paolo Abballe. Brace yourself for foams, for trompe l’oeil games, for desserts that look like they were designed by Frank Gehry, on a menu that grafts Far Eastern and Latin American ingredients and influences onto a Mediterranean base. Just as well that, most of the time, Caceres’ dishes dazzle not only the eye but the palate. Take the ‘Encased risotto’ – a solid brown oval which, on closer inspection, turns out to be a wooden bowl covered by a thin mushroom membrane. Once you break it, the rice, hazlenut and mushroom contents are refreshingly untricky on the tongue, a delicious umami walk in the woods. There are two tasting menus: we strongly recommend the six-course rather than the 10-course version, as a succession of amuse-bouches and pre-desserts will push the plate-count into double figures in any case.

Via Giovanni Antonelli 30, Parioli, Rome (00 39 06 807 6839 www.metamorfosiroma.it). Closed Saturday lunch and all day Sunday. Around €180 for two without wine.

High-end gourmet near the Vatican

It's been more than 20 years since German chef Heinz Beck launched the panoramic restaurant of the Waldorf Rome Cavalieri hotel into the culinary stratosphere – and like a comet, it still outshines the competition from its lofty Monte Mario perch. Rome and the Vatican are laid out diorama-style below, but in the opulent, low-ceilinged dining room, with its Aubusson tapestries, polished boiseries and Art Nouveau lights, the chaotic street theatre of the centro storico is replaced by an impeccably choreographed dance of waiters. Beck's Italo-centric cuisine is technically impeccable, but also light and intelligent, with few of the shock tactics of, say, Heston Blumenthal. The 10-course tasting menu (€260 a head, wine not included), also available in a pared-back seven-course version (€225), is a good introduction in autumn 2019 it included new entries such as a delicate starter of lightly grilled tuna with caviar and cauliflower, as well as greatest hits such as the carbonara concerto of the chef’s celebrated fagotelli La Pergola pasta parcels (it’s just like Beck to put the sauce inside the pasta, rather than on top). Desserts are spectacular, and the wine list is encyclopaedic – although mark-ups are predictably steep (mineral water is no less of a dilemma: there are 29 types to choose from). It's open only five evenings a week, and has just 55 covers, so book ahead.


Madre's menu is tapas-style, so start with a helping of garlicky prawns, then move on to the tuna-and-avocado ceviche, served with just the right amount of lime. The pizza list isn’t a long one we suggest the Parrilla, a mini barbecue cooked at the table, or the Sal—a fish of the day seared on sea salt stone and served with a mixed salad on the side. Forgo the gelato and fruit and order di Giacinto’s chocolate stick with raspberries and hibiscus flowers, or try the "terramisu," made with mascarpone, cocoa, barley, and root vegetables.

Agustarello is something of an institution in Testaccio, a former slaughterhouse district that's now one of Rome's edgiest neighborhoods. You'll jostle for elbow room with hungry locals to get a table—but that’s part of the fun. Like the best Roman restaurants, dining here is so much more than a meal: It’s about comfort, a reassuringly traditional menu, and company. Don't be surprised if you make friends with the table next to you.


La Terrazza is a reminder of why Italy is one of the world’s great food destinations. Exquisite ingredients, beautifully prepared. An unforgettable experience.

The experience begins when you step out of the lift. Your eyes take a moment to adjust to the darkened restaurant lobby, you turn the corner and… the most spectacular view of Rome bursts into life.

Closed until June 4, 2021

Philosophy through food

Fabio Ciervo’s cooking philosophy delivers unique menus to Rome’s discerning diners. His tasting menu titles sum up his style with ‘My Classics’ and ‘Harmony’.

When Paris meets Rome

When three great chefs come together, something amazing happens. We’re delighted to work with Angelo Musa, executive pastry chef at Hôtel Plaza Athénée, who teams up with our own Ezio Redolfi and Fabio Ciervo to create a showstopping dessert menu. The former World Pastry Champion and Meilleur Ouvrier de France brings his Parisian flair to Rome for seasonal desserts worth saving room for.

The bank of floor-to-ceiling windows swing right open to welcome in the fragrant night air. Rome’s beguiling beauty fills the restaurant, untroubled by glass.

Our executive chef, Fabio Ciervo, has travelled around the globe investigating different cuisines, techniques and chefs on a journey which eventually brought him here to Hotel Eden, where he creates the menus at La Terrazza and Il Giardino Ristorante.


Assista o vídeo: Conheça o restaurante preferido dos famosos em Roma