Novas receitas

O retorno do Festival de Portland Farmhouse e Wild Ale

O retorno do Festival de Portland Farmhouse e Wild Ale



O Portland Farmhouse and Wild Ale Festival estreou em março passado para uma multidão surpreendentemente enorme no Saraveza & The Bad Habit Room, e está voltando maior, mais malvado e mais descolado nos dias 29 e 30 de março. Com saisons e cervejas brettanamyoces ganhando popularidade, este festival pode ser a maior variedade de versões americanas do estilo. Os ingressos já estão à venda por $ 25.
Clique aqui para ler o resto deste post!


Banqueteando-se com a cerveja - Portland Brewers no Festival de Banquetes deste ano

Cofundador da Feast Mike Thelin insiste que ele é um cara da cerveja. "Sejamos honestos. [Cerveja] é uma parte importante [de viver em Portland]. Eu sou um bebedor de cerveja. Eu não vi meu abdômen em 20 anos. A cultura da cerveja em Oregon está fora do gancho. ” Ele acrescenta: “As pessoas não vão a Portland ou Oregon para não ter uma boa seleção de cerveja”.

Dito isso, a produção de um evento na escala da Feast requer “um certo nível de patrocínio”. Provavelmente seria fácil encontrar uma Heineken ou uma AB InBev para pagar esse tipo de moolah, mas isso seria o mesmo que ter a Kraft Foods ou a Procter & Gamble como o patrocinador principal do evento. (Irmãos Widmer assinou como patrocinador antecipado no primeiro ano e a cervejaria é uma minoria de propriedade da AB InBev, mas Widmer Hefeweizen faz parte do tecido de Portland, enquanto a Budweiser não.)

O Feast unirá cerca de 50 eventos em toda a cidade, celebrando todos os tipos de sanduíches com qualquer coisa fumada. O papel da cerveja é bastante moderado, mas pode ser encontrado na Grand Tasting in Pioneer Square, onde quase uma dúzia de cervejarias "participantes", incluindo Double Mountain, Burnside e Buoy além de cidras locais e um meadery (a resposta do mel para o lúpulo e as maçãs) estarão disponíveis para amostra. São 40 vinícolas participantes e 10 destilarias, de acordo com Thelin.

Para os amantes da cerveja, há uma percepção de falta de foco na cerveja. Dois dos seis eventos “Drink Tank” são dedicados ao papel da cerveja na cultura alimentar - “Wine vs. Beer "e" A Bitter Twist "- mas, novamente, não é como se já não estivéssemos em casa Portland Cheers to Belgian Beers, Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, e o que parece ser quase 50 outros eventos específicos da cerveja realizados ao longo do ano. A maioria deles relega o papel da comida a algo que você come para estabelecer uma base para mais cerveja.

Ainda, Cervejeiro de última hora Ben Edmunds, um dos cinco palestrantes no evento Bitter Twist centrado na IPA porque ele faz cervejas amargas premiadas, acha que a Feast pode melhorar o papel da cerveja. “O Feast é uma vitrine incrível para a cena de comida e bebida artesanal do Oregon, mas a cerveja do Oregon não recebe praticamente nenhuma atenção do evento.” Ele rapidamente aponta: “Acho que é porque ninguém vem ao Banquete pela cerveja”, mesmo que ele acredite que “deveria ter um papel maior”. É natural que um cervejeiro se sinta assim. Edmunds compara isso a um festival gastronômico em Napa "sem brincar com o vinho" ou em Louisville "sem bourbon". (Em um parêntese, este blogueiro irá participar de um festival de cerveja em Louisville no mês que vem e não espera encontrar nenhum bourbon, pelo menos como uma parte oficial do evento, mas provavelmente se encontrará em um rickhouse próximo.)

A propósito, o Smoked Porter do Breakside é destaque no "Boilermaker Sundae" do Park Kitchen, criado pelo chef David Sapp e pelo proprietário Scott Dolich. A sobremesa pode ser degustada no evento Smoked de sábado à noite e consiste em sorvete de bourbon com o porter defumado, chantilly maltado e coberto com "Hair Of The Dog Granola" contendo castanhas de cerveja, nibs de cacau e cevada soprada.

Amor Mercúrio Cobertura de alimentos e bebidas?

Escritor de cerveja e dono de uma cervejaria calouro Christian Debenedetti é o condutor do lado da cerveja no painel Wine vs. Beer e está envolvido com a Feast desde o início. O foco do evento Drink Tank deste ano é colocar uvas em vez de lúpulo como complemento do queijo e ele servirá sua cerveja selvagem Montmorrissey inspirada no Kriek com cerejas Montmorency de seu novo Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti observa que houve “algo em torno de 20 painéis nos últimos cinco anos, de cervejas de ponta / experimentais à combinação de alimentos”.

Talvez o Feast atinja o equilíbrio entre manter a ênfase nos comestíveis e, ao mesmo tempo, prestar alguma homenagem aos imbibíveis necessários e agradáveis ​​que os engolem.

“Somos um festival de comida”, reitera Thelin. Cerveja não merece ser o zagueiro titular, mas também não deve ser o aquecedor de banco do Feast. “Foi bem recebido. Acho que no próximo ano veremos mais (de cerveja) ”, conclui Thelin. Ele ainda acrescenta misteriosamente que alguns ex-cervejeiros participantes podem retornar no próximo ano em novas funções em novas cervejarias. A corrida de quatro dias do Feast começa hoje, mas já temos algo para abrir nosso apetite para o próximo ano, que, ao contrário deste ano, ainda não se esgotou.


Banqueteando-se com a cerveja - Portland Brewers no Festival de Banquetes deste ano

Cofundador da Feast Mike Thelin insiste que ele é um cara da cerveja. "Sejamos honestos. [Cerveja] é uma parte importante [de viver em Portland]. Eu sou um bebedor de cerveja. Eu não vi meu abdômen em 20 anos. A cultura da cerveja no Oregon está fora do gancho. ” Ele acrescenta: “As pessoas não vão a Portland ou Oregon para não ter uma boa seleção de cervejas”.

Dito isso, a produção de um evento na escala da Feast requer “um certo nível de patrocínio”. Provavelmente seria fácil encontrar uma Heineken ou uma AB InBev para pagar esse tipo de moolah, mas isso seria o mesmo que ter a Kraft Foods ou a Procter & Gamble como o patrocinador principal do evento. (Irmãos Widmer assinou como patrocinador antecipado no primeiro ano e a cervejaria é uma minoria de propriedade da AB InBev, mas Widmer Hefeweizen faz parte do tecido de Portland, enquanto a Budweiser não.)

O Feast unirá cerca de 50 eventos em toda a cidade, celebrando todos os tipos de sanduíches com qualquer coisa fumada. O papel da cerveja é bastante moderado, mas pode ser encontrado na Grand Tasting in Pioneer Square, onde quase uma dúzia de cervejarias "participantes", incluindo Double Mountain, Burnside e Buoy além de cidras locais e um meadery (a resposta do mel para o lúpulo e as maçãs) estarão disponíveis para amostra. São 40 vinícolas participantes e 10 destilarias, de acordo com Thelin.

Para os amantes da cerveja, existe uma percepção da falta de foco na cerveja. Dois dos seis eventos “Drink Tank” são dedicados ao papel da cerveja na cultura alimentar - “Wine vs. Beer "e" A Bitter Twist "- mas, novamente, não é como se já não estivéssemos em casa Portland Cheers to Belgian Beers, Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, e o que parece ser quase 50 outros eventos específicos da cerveja realizados ao longo do ano. A maioria deles relega o papel da comida a algo que você come para estabelecer uma base para mais cerveja.

Ainda, Cervejeiro de última hora Ben Edmunds, um dos cinco palestrantes no evento Bitter Twist centrado na IPA porque ele faz cervejas amargas premiadas, acha que a Feast pode melhorar o papel da cerveja. “O Feast é uma vitrine incrível para a cena de comida e bebida artesanal do Oregon, mas a cerveja do Oregon não recebe praticamente nenhuma atenção do evento.” Ele rapidamente aponta: “Acho que é porque ninguém vem ao Banquete pela cerveja”, mesmo que ele acredite que “deveria ter um papel maior”. É natural que um cervejeiro se sinta assim. Edmunds compara isso a um festival gastronômico em Napa "sem brincar com o vinho" ou em Louisville "sem bourbon". (Em um parêntese, este blogueiro irá participar de um festival de cerveja em Louisville no mês que vem e não espera encontrar nenhum bourbon, pelo menos como uma parte oficial do evento, mas provavelmente se encontrará em um rickhouse próximo.)

A propósito, o Smoked Porter do Breakside é destaque no "Boilermaker Sundae" do Park Kitchen, criado pelo chef David Sapp e pelo proprietário Scott Dolich. A sobremesa pode ser degustada no evento Smoked de sábado à noite e consiste em sorvete de bourbon com o porter defumado, chantilly maltado e coberto com "Hair Of The Dog Granola" contendo castanhas de cerveja, nibs de cacau e cevada soprada.

Amor Mercúrio Cobertura de alimentos e bebidas?

Escritor de cerveja e dono de uma cervejaria calouro Christian Debenedetti é o condutor do lado da cerveja no painel Wine vs. Beer e está envolvido com a Feast desde o início. O foco do evento Drink Tank deste ano é colocar uvas em vez de lúpulo como complemento do queijo e ele servirá sua cerveja selvagem Montmorrissey inspirada no Kriek com cerejas Montmorency de seu novo Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti observa que houve “algo em torno de 20 painéis nos últimos cinco anos, de cervejas de ponta / experimentais à combinação de alimentos”.

Talvez o Feast atinja o equilíbrio entre manter a ênfase nos comestíveis e, ao mesmo tempo, prestar alguma homenagem aos imbibíveis necessários e agradáveis ​​que os engolem.

“Somos um festival de comida”, reitera Thelin. Cerveja não merece ser o zagueiro titular, mas também não deve ser o aquecedor de banco do Feast. “Foi bem recebido. Acho que no próximo ano veremos mais (de cerveja) ”, conclui Thelin. Ele ainda acrescenta misteriosamente que alguns ex-cervejeiros participantes podem retornar no próximo ano em novas funções em novas cervejarias. A corrida de quatro dias do Feast começa hoje, mas já temos algo para abrir nosso apetite para o próximo ano, que, ao contrário deste ano, ainda não se esgotou.


Banqueteando-se com a cerveja - Portland Brewers no Festival de Banquetes deste ano

Cofundador da Feast Mike Thelin insiste que ele é um cara da cerveja. "Sejamos honestos. [Cerveja] é uma parte importante [de viver em Portland]. Eu sou um bebedor de cerveja. Eu não vi meu abdômen em 20 anos. A cultura da cerveja em Oregon está fora do gancho. ” Ele acrescenta: “As pessoas não vão a Portland ou Oregon para não ter uma boa seleção de cerveja”.

Dito isso, a produção de um evento na escala da Feast requer “um certo nível de patrocínio”. Provavelmente seria fácil encontrar uma Heineken ou uma AB InBev para pagar esse tipo de moolah, mas isso seria o mesmo que ter a Kraft Foods ou a Procter & Gamble como o patrocinador principal do evento. (Irmãos Widmer assinou como patrocinador antecipado no primeiro ano e a cervejaria é uma minoria de propriedade da AB InBev, mas Widmer Hefeweizen faz parte do tecido de Portland, enquanto a Budweiser não.)

O Feast unirá cerca de 50 eventos em toda a cidade, celebrando todos os tipos de sanduíches com qualquer coisa fumada. O papel da cerveja é bastante moderado, mas pode ser encontrado na Grand Tasting in Pioneer Square, onde quase uma dúzia de cervejarias "participantes", incluindo Double Mountain, Burnside e Buoy além de cidras locais e um meadery (a resposta do mel para o lúpulo e as maçãs) estarão disponíveis para amostra. São 40 vinícolas participantes e 10 destilarias, de acordo com Thelin.

Para os amantes da cerveja, há uma percepção de falta de foco na cerveja. Dois dos seis eventos “Drink Tank” são dedicados ao papel da cerveja na cultura alimentar - “Wine vs. Beer "e" A Bitter Twist "- mas, novamente, não é como se já não estivéssemos em casa Portland Cheers to Belgian Beers, Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, e o que parece ser quase 50 outros eventos específicos da cerveja realizados ao longo do ano. A maioria deles relega o papel da comida a algo que você come para estabelecer uma base para mais cerveja.

Ainda, Cervejeiro de última hora Ben Edmunds, um dos cinco palestrantes no evento Bitter Twist centrado na IPA porque ele faz cervejas amargas premiadas, acha que a Feast pode melhorar o papel da cerveja. “A Feast é uma vitrine incrível para a cena de alimentos e bebidas artesanais do Oregon, mas a cerveja do Oregon não recebe praticamente nenhuma atenção do evento.” Ele rapidamente aponta: “Acho que é porque ninguém vem ao Banquete pela cerveja”, mesmo que ele acredite que “deveria ter um papel maior”. É natural que um cervejeiro se sinta assim. Edmunds compara isso a um festival gastronômico em Napa "sem brincar com o vinho" ou em Louisville "sem bourbon". (Em um parêntese, este blogueiro irá participar de um festival de cerveja em Louisville no mês que vem e não espera encontrar nenhum bourbon, pelo menos como uma parte oficial do evento, mas provavelmente se encontrará em um rickhouse próximo.)

A propósito, o Smoked Porter do Breakside é apresentado no "Boilermaker Sundae" do Park Kitchen, criado pelo chef David Sapp e pelo proprietário Scott Dolich. A sobremesa pode ser degustada no evento Smoked de sábado à noite e consiste em sorvete de bourbon com o Porter defumado, chantilly maltado e coberto com "Hair Of The Dog Granola" contendo castanhas de cerveja, nibs de cacau e cevada soprada.

Amor Mercúrio Cobertura de alimentos e bebidas?

Escritor de cerveja e dono de uma cervejaria calouro Christian Debenedetti é o condutor do lado da cerveja no painel Wine vs. Beer e está envolvido com a Feast desde o início. O foco do evento Drink Tank deste ano é colocar uvas em vez de lúpulo como complemento do queijo e ele servirá sua cerveja selvagem Montmorrissey inspirada no Kriek com cerejas Montmorency de seu novo Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti observa que houve “algo em torno de 20 painéis nos últimos cinco anos, de cervejas de ponta / experimentais à combinação de alimentos”.

Talvez o Feast atinja o equilíbrio entre manter a ênfase nos comestíveis e, ao mesmo tempo, prestar alguma homenagem aos imbibíveis necessários e agradáveis ​​que os engolem.

“Somos um festival de comida”, reitera Thelin. Cerveja não merece ser o zagueiro titular, mas também não deve ser o aquecedor de banco do Feast. “Foi bem recebido. Acho que no próximo ano veremos mais (de cerveja) ”, conclui Thelin. Ele ainda acrescenta misteriosamente que alguns ex-cervejeiros participantes podem retornar no próximo ano em novas funções em novas cervejarias. A corrida de quatro dias do Feast começa hoje, mas já temos algo para abrir nosso apetite para o próximo ano, que, ao contrário deste ano, ainda não se esgotou.


Banqueteando-se com a cerveja - Portland Brewers no Festival de Banquetes deste ano

Cofundador da Feast Mike Thelin insiste que ele é um cara da cerveja. "Sejamos honestos. [Cerveja] é uma parte importante [de viver em Portland]. Eu sou um bebedor de cerveja. Eu não vi meu abdômen em 20 anos. A cultura da cerveja em Oregon está fora do gancho. ” Ele acrescenta: “As pessoas não vão a Portland ou Oregon para não ter uma boa seleção de cerveja”.

Dito isso, a produção de um evento na escala da Feast requer “um certo nível de patrocínio”. Provavelmente seria fácil encontrar uma Heineken ou uma AB InBev para pagar esse tipo de moolah, mas isso seria o mesmo que ter a Kraft Foods ou a Procter & Gamble como o patrocinador principal do evento. (Irmãos Widmer assinou como patrocinador antecipado no primeiro ano e a cervejaria é uma minoria de propriedade da AB InBev, mas Widmer Hefeweizen faz parte do tecido de Portland, enquanto a Budweiser não.)

O Feast unirá cerca de 50 eventos em toda a cidade, celebrando todos os tipos de sanduíches com qualquer coisa fumada. O papel da cerveja é bastante moderado, mas pode ser encontrado na Grand Tasting in Pioneer Square, onde quase uma dúzia de cervejarias "participantes", incluindo Double Mountain, Burnside e Buoy além de cidras locais e um meadery (a resposta do mel para o lúpulo e as maçãs) estarão disponíveis para amostra. São 40 vinícolas participantes e 10 destilarias, de acordo com Thelin.

Para os amantes da cerveja, existe uma percepção da falta de foco na cerveja. Dois dos seis eventos “Drink Tank” são dedicados ao papel da cerveja na cultura alimentar - “Wine vs. Beer "e" A Bitter Twist "- mas, novamente, não é como se já não estivéssemos em casa Portland Cheers to Belgian Beers, Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, e o que parece ser quase 50 outros eventos específicos da cerveja realizados ao longo do ano. A maioria deles relega o papel da comida a algo que você come para estabelecer uma base para mais cerveja.

Ainda, Cervejeiro de última hora Ben Edmunds, um dos cinco painelistas no evento Bitter Twist centrado na IPA porque ele faz cervejas amargas premiadas, acha que a Feast pode melhorar o papel da cerveja. “O Feast é uma vitrine incrível para a cena de comida e bebida artesanal do Oregon, mas a cerveja do Oregon não recebe praticamente nenhuma atenção do evento.” Ele rapidamente aponta: “Acho que é porque ninguém vem ao Banquete pela cerveja”, mesmo que ele acredite que “deveria ter um papel maior”. É natural que um cervejeiro se sinta assim. Edmunds compara isso a um festival gastronômico em Napa "sem brincar com o vinho" ou em Louisville "sem bourbon". (Em um parêntese, este blogueiro irá participar de um festival de cerveja em Louisville no próximo mês e não espera encontrar nenhum bourbon, pelo menos como uma parte oficial do evento, mas provavelmente se encontrará em um rickhouse próximo.)

A propósito, o Smoked Porter do Breakside é destaque no "Boilermaker Sundae" do Park Kitchen, criado pelo chef David Sapp e pelo proprietário Scott Dolich. A sobremesa pode ser degustada no evento Smoked de sábado à noite e consiste em sorvete de bourbon com o porter defumado, chantilly maltado e coberto com "Hair Of The Dog Granola" contendo castanhas de cerveja, nibs de cacau e cevada soprada.

Amor Mercúrio Cobertura de alimentos e bebidas?

Escritor de cerveja e dono de uma cervejaria calouro Christian Debenedetti é o condutor do lado da cerveja no painel Wine vs. Beer e está envolvido com a Feast desde o início. O foco do evento Drink Tank deste ano é colocar uvas em vez de lúpulo como complemento do queijo e ele servirá sua cerveja selvagem Montmorrissey inspirada no Kriek com cerejas Montmorency de seu novo Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti observa que houve “algo em torno de 20 painéis nos últimos cinco anos, de cervejas de ponta / experimentais à combinação de alimentos”.

Talvez o Feast atinja o equilíbrio entre manter a ênfase nos comestíveis e, ao mesmo tempo, prestar alguma homenagem aos imbibíveis necessários e agradáveis ​​que os engolem.

“Somos um festival de comida”, reitera Thelin. Cerveja não merece ser o zagueiro titular, mas também não deve ser o aquecedor de banco do Feast. “Foi bem recebido. Acho que no próximo ano veremos mais (de cerveja) ”, conclui Thelin. Ele ainda acrescenta misteriosamente que alguns ex-cervejeiros participantes podem retornar no próximo ano em novas funções em novas cervejarias. A corrida de quatro dias do Feast começa hoje, mas já temos algo para abrir nosso apetite para o próximo ano, que, ao contrário deste ano, ainda não se esgotou.


Banqueteando-se com a cerveja - Portland Brewers no Festival de Banquetes deste ano

Cofundador da Feast Mike Thelin insiste que ele é um cara da cerveja. "Sejamos honestos. [Cerveja] é uma parte importante [de viver em Portland]. Eu sou um bebedor de cerveja. Eu não vi meu abdômen em 20 anos. A cultura da cerveja em Oregon está fora do gancho. ” Ele acrescenta: “As pessoas não vão a Portland ou Oregon para não ter uma boa seleção de cerveja”.

Dito isso, a produção de um evento na escala da Feast requer “um certo nível de patrocínio”. Provavelmente seria fácil encontrar uma Heineken ou uma AB InBev para pagar esse tipo de moolah, mas isso seria o mesmo que ter a Kraft Foods ou a Procter & Gamble como o patrocinador principal do evento. (Irmãos Widmer assinou como patrocinador antecipado no primeiro ano e a cervejaria é uma minoria de propriedade da AB InBev, mas Widmer Hefeweizen faz parte do tecido de Portland, enquanto a Budweiser não.)

O Feast unirá cerca de 50 eventos em toda a cidade, celebrando todos os tipos de sanduíches com qualquer coisa fumada. O papel da cerveja é bastante moderado, mas pode ser encontrado na Grand Tasting in Pioneer Square, onde quase uma dúzia de cervejarias "participantes", incluindo Double Mountain, Burnside e Buoy além de cidras locais e um meadery (a resposta do mel para o lúpulo e as maçãs) estarão disponíveis para amostra. São 40 vinícolas participantes e 10 destilarias, de acordo com Thelin.

Para os amantes da cerveja, existe uma percepção da falta de foco na cerveja. Dois dos seis eventos “Drink Tank” são dedicados ao papel da cerveja na cultura alimentar - “Wine vs. Beer "e" A Bitter Twist "- mas, novamente, não é como se já não estivéssemos em casa Portland Cheers to Belgian Beers, Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, e o que parece ser quase 50 outros eventos específicos da cerveja realizados ao longo do ano. A maioria deles relega o papel da comida a algo que você come para estabelecer uma base para mais cerveja.

Ainda, Cervejeiro de última hora Ben Edmunds, um dos cinco palestrantes no evento Bitter Twist centrado na IPA porque ele faz cervejas amargas premiadas, acha que a Feast pode melhorar o papel da cerveja. “O Feast é uma vitrine incrível para a cena de comida e bebida artesanal do Oregon, mas a cerveja do Oregon não recebe praticamente nenhuma atenção do evento.” Ele rapidamente aponta: “Acho que é porque ninguém vem ao Banquete pela cerveja”, mesmo que ele acredite que “deveria ter um papel maior”. É natural que um cervejeiro se sinta assim. Edmunds compara isso a um festival gastronômico em Napa "sem brincar com o vinho" ou em Louisville "sem bourbon". (Em um parêntese, este blogueiro irá participar de um festival de cerveja em Louisville no mês que vem e não espera encontrar nenhum bourbon, pelo menos como uma parte oficial do evento, mas provavelmente se encontrará em um rickhouse próximo.)

A propósito, o Smoked Porter do Breakside é apresentado no "Boilermaker Sundae" do Park Kitchen, criado pelo chef David Sapp e pelo proprietário Scott Dolich. A sobremesa pode ser degustada no evento Smoked de sábado à noite e consiste em sorvete de bourbon com o Porter defumado, chantilly maltado e coberto com "Hair Of The Dog Granola" contendo castanhas de cerveja, nibs de cacau e cevada soprada.

Amor Mercúrio Cobertura de alimentos e bebidas?

Escritor de cerveja e dono de uma cervejaria calouro Christian Debenedetti é o condutor do lado da cerveja no painel Wine vs. Beer e está envolvido com a Feast desde o início. O foco do evento Drink Tank deste ano é colocar uvas em vez de lúpulo como complemento do queijo e ele servirá sua cerveja selvagem Montmorrissey inspirada no Kriek com cerejas Montmorency de seu novo Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti observa que houve “algo em torno de 20 painéis nos últimos cinco anos, de cervejas de ponta / experimentais à combinação de alimentos”.

Talvez o Feast atinja o equilíbrio entre manter a ênfase nos comestíveis e, ao mesmo tempo, prestar alguma homenagem aos imbibíveis necessários e agradáveis ​​que os engolem.

“Somos um festival de comida”, reitera Thelin. Cerveja não merece ser o zagueiro titular, mas também não deve ser o aquecedor de banco do Feast. “Foi bem recebido. Acho que no próximo ano veremos mais (de cerveja) ”, conclui Thelin. Ele ainda acrescenta misteriosamente que alguns ex-cervejeiros participantes podem retornar no próximo ano em novas funções em novas cervejarias. A corrida de quatro dias do Feast começa hoje, mas já temos algo para abrir nosso apetite para o próximo ano, que, ao contrário deste ano, ainda não se esgotou.


Banqueteando-se com a cerveja - Portland Brewers no Festival de Banquetes deste ano

Cofundador da Feast Mike Thelin insiste que ele é um cara da cerveja. "Sejamos honestos. [Cerveja] é uma parte importante [de viver em Portland]. Eu sou um bebedor de cerveja. Eu não vi meu abdômen em 20 anos. A cultura da cerveja em Oregon está fora do gancho. ” Ele acrescenta: “As pessoas não vão a Portland ou Oregon para não ter uma boa seleção de cerveja”.

Dito isso, a produção de um evento na escala da Feast requer “um certo nível de patrocínio”. Provavelmente seria fácil encontrar uma Heineken ou uma AB InBev para pagar esse tipo de moolah, mas isso seria o mesmo que ter a Kraft Foods ou a Procter & Gamble como o patrocinador principal do evento. (Irmãos Widmer assinou como patrocinador antecipado no primeiro ano e a cervejaria é uma minoria de propriedade da AB InBev, mas Widmer Hefeweizen faz parte do tecido de Portland, enquanto a Budweiser não.)

O Feast unirá cerca de 50 eventos em toda a cidade, celebrando todos os tipos de sanduíches com qualquer coisa fumada. O papel da cerveja é bastante moderado, mas pode ser encontrado na Grand Tasting in Pioneer Square, onde quase uma dúzia de cervejarias "participantes", incluindo Double Mountain, Burnside e Buoy além de cidras locais e um meadery (a resposta do mel para o lúpulo e as maçãs) estarão disponíveis para amostra. São 40 vinícolas participantes e 10 destilarias, de acordo com Thelin.

Para os amantes da cerveja, existe uma percepção da falta de foco na cerveja. Dois dos seis eventos “Drink Tank” são dedicados ao papel da cerveja na cultura alimentar - “Wine vs. Beer "e" A Bitter Twist "- mas, novamente, não é como se já não estivéssemos em casa Portland Cheers to Belgian Beers, Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, e o que parece ser quase 50 outros eventos específicos da cerveja realizados ao longo do ano. A maioria deles relega o papel da comida a algo que você come para estabelecer uma base para mais cerveja.

Ainda, Cervejeiro de última hora Ben Edmunds, um dos cinco palestrantes no evento Bitter Twist centrado na IPA porque ele faz cervejas amargas premiadas, acha que a Feast pode melhorar o papel da cerveja. “A Feast é uma vitrine incrível para a cena de alimentos e bebidas artesanais do Oregon, mas a cerveja do Oregon não recebe praticamente nenhuma atenção do evento.” Ele rapidamente aponta: “Acho que é porque ninguém vem ao Banquete pela cerveja”, mesmo que ele acredite que “deveria ter um papel maior”. É natural que um cervejeiro se sinta assim. Edmunds compara isso a um festival gastronômico em Napa "sem brincar com o vinho" ou em Louisville "sem bourbon". (Em um parêntese, este blogueiro irá participar de um festival de cerveja em Louisville no mês que vem e não espera encontrar nenhum bourbon, pelo menos como uma parte oficial do evento, mas provavelmente se encontrará em um rickhouse próximo.)

A propósito, o Smoked Porter do Breakside é apresentado no "Boilermaker Sundae" do Park Kitchen, criado pelo chef David Sapp e pelo proprietário Scott Dolich. A sobremesa pode ser degustada no evento Smoked de sábado à noite e consiste em sorvete de bourbon com o porter defumado, chantilly maltado e coberto com "Hair Of The Dog Granola" contendo castanhas de cerveja, nibs de cacau e cevada soprada.

Amor Mercúrio Cobertura de alimentos e bebidas?

Escritor de cerveja e dono de uma cervejaria calouro Christian Debenedetti é o condutor do lado da cerveja no painel Wine vs. Beer e está envolvido com a Feast desde o início. O foco do evento Drink Tank deste ano é colocar uvas em vez de lúpulo como complemento do queijo e ele servirá sua cerveja selvagem Montmorrissey inspirada no Kriek com cerejas Montmorency de seu novo Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti observa que houve “algo em torno de 20 painéis nos últimos cinco anos, de cervejas de ponta / experimentais à combinação de alimentos”.

Talvez o Feast atinja o equilíbrio entre manter a ênfase nos comestíveis e, ao mesmo tempo, prestar alguma homenagem aos imbibíveis necessários e agradáveis ​​que os engolem.

“Somos um festival de comida”, reitera Thelin. Cerveja não merece ser o zagueiro titular, mas também não deve ser o aquecedor de banco do Feast. “Foi bem recebido. Acho que no próximo ano veremos mais (de cerveja) ”, conclui Thelin. Ele ainda acrescenta misteriosamente que alguns ex-cervejeiros participantes podem retornar no próximo ano em novas funções em novas cervejarias. A corrida de quatro dias do Feast começa hoje, mas já temos algo para abrir nosso apetite para o próximo ano, que, ao contrário deste ano, ainda não se esgotou.


Banqueteando-se com a cerveja - Portland Brewers no Festival de Banquetes deste ano

Cofundador da Feast Mike Thelin insiste que ele é um cara da cerveja. "Sejamos honestos. [Cerveja] é uma parte importante [de viver em Portland]. Eu sou um bebedor de cerveja. Eu não vi meu abdômen em 20 anos. A cultura da cerveja em Oregon está fora do gancho. ” Ele acrescenta: “As pessoas não vão a Portland ou Oregon para não ter uma boa seleção de cervejas”.

Dito isso, a produção de um evento na escala da Feast requer “um certo nível de patrocínio”. Provavelmente seria fácil encontrar uma Heineken ou uma AB InBev para pagar esse tipo de moolah, mas isso seria o mesmo que ter a Kraft Foods ou a Procter & Gamble como o patrocinador principal do evento. (Irmãos Widmer assinou como patrocinador antecipado no primeiro ano e a cervejaria é uma minoria de propriedade da AB InBev, mas Widmer Hefeweizen faz parte do tecido de Portland, enquanto a Budweiser não.)

O Feast unirá cerca de 50 eventos em toda a cidade, celebrando todos os tipos de sanduíches com qualquer coisa fumada. O papel da cerveja é bastante moderado, mas pode ser encontrado na Grand Tasting in Pioneer Square, onde quase uma dúzia de cervejarias "participantes", incluindo Double Mountain, Burnside e Buoy além de cidras locais e um meadery (a resposta do mel para o lúpulo e as maçãs) estarão disponíveis para amostra. São 40 vinícolas participantes e 10 destilarias, de acordo com Thelin.

Para os amantes da cerveja, existe uma percepção da falta de foco na cerveja. Dois dos seis eventos “Drink Tank” são dedicados ao papel da cerveja na cultura alimentar - “Wine vs. Beer "e" A Bitter Twist "- mas, novamente, não é como se já não estivéssemos em casa Portland Cheers to Belgian Beers, Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, e o que parece ser quase 50 outros eventos específicos da cerveja realizados ao longo do ano. A maioria deles relega o papel da comida a algo que você come para estabelecer uma base para mais cerveja.

Ainda, Cervejeiro de última hora Ben Edmunds, um dos cinco palestrantes no evento Bitter Twist centrado na IPA porque ele faz cervejas amargas premiadas, acha que a Feast pode melhorar o papel da cerveja. “O Feast é uma vitrine incrível para a cena de alimentos e bebidas artesanais do Oregon, mas a cerveja do Oregon não recebe praticamente nenhuma atenção do evento.” Ele rapidamente aponta: “Acho que é porque ninguém vem ao Banquete pela cerveja”, mesmo que ele acredite que “deveria ter um papel maior”. É natural que um cervejeiro se sinta assim. Edmunds compara isso a um festival gastronômico em Napa "sem brincar com o vinho" ou em Louisville "sem bourbon". (Em um parêntese, este blogueiro irá participar de um festival de cerveja em Louisville no próximo mês e não espera encontrar nenhum bourbon, pelo menos como uma parte oficial do evento, mas muito provavelmente se encontrará em um rickhouse próximo.)

A propósito, o Smoked Porter do Breakside é destaque no "Boilermaker Sundae" do Park Kitchen, criado pelo chef David Sapp e pelo proprietário Scott Dolich. A sobremesa pode ser degustada no evento Smoked de sábado à noite e consiste em sorvete de bourbon com o Porter defumado, chantilly maltado e coberto com "Hair Of The Dog Granola" contendo castanhas de cerveja, nibs de cacau e cevada soprada.

Amor Mercúrio Cobertura de alimentos e bebidas?

Escritor de cerveja e dono de uma cervejaria calouro Christian Debenedetti é o condutor do lado da cerveja no painel Wine vs. Beer e está envolvido com a Feast desde o início. O foco do evento Drink Tank deste ano é colocar uvas em vez de lúpulo como complemento do queijo e ele servirá sua cerveja selvagem Montmorrissey inspirada no Kriek com cerejas Montmorency de seu novo Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti observa que houve “algo em torno de 20 painéis nos últimos cinco anos, de cervejas de ponta / experimentais à combinação de alimentos”.

Perhaps Feast strikes the balance between keeping the emphasis on the edibles while paying some amount of homage to the imbibables necessary and enjoyable that wash them down.

“We are a food festival,” Thelin reiterates. Beer doesn’t deserve to be the first-string quarterback but nor should it be Feast’s benchwarmer. “It’s been well received. I think next year we’ll see more (of beer),” concludes Thelin. He even mysteriously adds that some past brewer participants may return next year in new roles with new breweries. Feast’s four-day run begins today, but we’ve already got something to whet our appetites for next year, which, unlike this year, isn’t sold out yet.


Feasting on Beer—Portland Brewers at This Year's Feast Festival

Feast co-founder Mike Thelin insists he’s a beer guy. “Let’s be honest. [Beer] is an important part [of living in Portland]. I’m a beer drinker. I haven’t seen my abs in 20 years. The beer culture in Oregon is off the hook.” He adds, “People don’t go to Portland or Oregon to not have a good selection of beer.”

Having said that, producing an event on the scale of Feast takes “a certain level of sponsorship.” It’d likely be easy to find a Heineken or an AB InBev to pony up that kind of moolah, but that’d be tantamount to having Kraft Foods or Procter & Gamble be the event’s main sponsor. (Widmer Brothers signed on as an early sponsor in the first year and the brewing company is minority owned by AB InBev, but Widmer Hefeweizen is part of Portland’s fabric while Budweiser is not.)

Feast will link together nearly 50 events throughout the city celebrating all things sandwiches to anything smoked. Beer’s role is rather subdued but it can be found at the Grand Tasting in Pioneer Square, where nearly a dozen “participant” breweries including Double Mountain, Burnside, and Buoy plus local cideries and a meadery (honey’s answer to hops and apples) will be available to sample. There are 40 participating wineries and 10 distilleries, according to Thelin.

For beer lovers, there’s a perceived dearth of beer focus. Two of the six “Drink Tank” events are dedicated to beer’s role in the food culture—“Wine Vs. Beer” and “A Bitter Twist”—but then again, it’s not like we’re not already home to Portland Cheers to Belgian Beers, the Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, and what feels like nearly 50 other beer-specific events held throughout the year. Most of those relegate food’s role to something you eat to lay a foundation for more beer.

Ainda, Breakside brewer Ben Edmunds, one of the five panelists at the IPA-centric Bitter Twist event because he makes award-winning bitter beers, thinks Feast can bump up beer’s role. “Feast is an amazing showcase for Oregon’s artisan food and beverage scene, but Oregon beer gets virtually no attention from the event.” He swiftly points out, “I think it’s because no one comes to Feast for the beer” even if he believes it “should have a bigger role.” It’s natural a brewer would feel that way. Edmunds likens it to a food fest in Napa “not playing up the wine angle,” or one in Louisville “not tying in bourbon.” (Parenthetically, this blogger will be attending a beer festival in Louisville next month and does not expect to find any bourbon, at least as an official part of the event, but will more than likely find himself in a nearby rickhouse.)

Incidentally, Breakside’s Smoked Porter is featured in Park Kitchen's “Boilermaker Sundae,” created by chef David Sapp and owner Scott Dolich. The dessert can be sampled at Saturday night’s Smoked event and consists of bourbon ice cream with the smoked porter, malted whipped cream, and topped with "Hair Of The Dog Granola" containing beer nuts, cocoa nibs, and puffed barley.

Amor Mercúrio Food & Drink Coverage?

Beer writer and freshman brewery owner Christian Debenedetti is the conductor of the beer side of the Wine vs. Beer panel and has been involved with Feast from the get-go. The focus of that Drink Tank event this year is pitting grapes versus hops as a complement to cheese and he’ll be pouring his kriek-inspired Montmorrissey wild ale with Montmorency cherries from his brand new Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti notes that there have been “something like 20 panels in the last five years, from cutting edge/experimental brews to food pairing.”

Perhaps Feast strikes the balance between keeping the emphasis on the edibles while paying some amount of homage to the imbibables necessary and enjoyable that wash them down.

“We are a food festival,” Thelin reiterates. Beer doesn’t deserve to be the first-string quarterback but nor should it be Feast’s benchwarmer. “It’s been well received. I think next year we’ll see more (of beer),” concludes Thelin. He even mysteriously adds that some past brewer participants may return next year in new roles with new breweries. Feast’s four-day run begins today, but we’ve already got something to whet our appetites for next year, which, unlike this year, isn’t sold out yet.


Feasting on Beer—Portland Brewers at This Year's Feast Festival

Feast co-founder Mike Thelin insists he’s a beer guy. “Let’s be honest. [Beer] is an important part [of living in Portland]. I’m a beer drinker. I haven’t seen my abs in 20 years. The beer culture in Oregon is off the hook.” He adds, “People don’t go to Portland or Oregon to not have a good selection of beer.”

Having said that, producing an event on the scale of Feast takes “a certain level of sponsorship.” It’d likely be easy to find a Heineken or an AB InBev to pony up that kind of moolah, but that’d be tantamount to having Kraft Foods or Procter & Gamble be the event’s main sponsor. (Widmer Brothers signed on as an early sponsor in the first year and the brewing company is minority owned by AB InBev, but Widmer Hefeweizen is part of Portland’s fabric while Budweiser is not.)

Feast will link together nearly 50 events throughout the city celebrating all things sandwiches to anything smoked. Beer’s role is rather subdued but it can be found at the Grand Tasting in Pioneer Square, where nearly a dozen “participant” breweries including Double Mountain, Burnside, and Buoy plus local cideries and a meadery (honey’s answer to hops and apples) will be available to sample. There are 40 participating wineries and 10 distilleries, according to Thelin.

For beer lovers, there’s a perceived dearth of beer focus. Two of the six “Drink Tank” events are dedicated to beer’s role in the food culture—“Wine Vs. Beer” and “A Bitter Twist”—but then again, it’s not like we’re not already home to Portland Cheers to Belgian Beers, the Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, and what feels like nearly 50 other beer-specific events held throughout the year. Most of those relegate food’s role to something you eat to lay a foundation for more beer.

Ainda, Breakside brewer Ben Edmunds, one of the five panelists at the IPA-centric Bitter Twist event because he makes award-winning bitter beers, thinks Feast can bump up beer’s role. “Feast is an amazing showcase for Oregon’s artisan food and beverage scene, but Oregon beer gets virtually no attention from the event.” He swiftly points out, “I think it’s because no one comes to Feast for the beer” even if he believes it “should have a bigger role.” It’s natural a brewer would feel that way. Edmunds likens it to a food fest in Napa “not playing up the wine angle,” or one in Louisville “not tying in bourbon.” (Parenthetically, this blogger will be attending a beer festival in Louisville next month and does not expect to find any bourbon, at least as an official part of the event, but will more than likely find himself in a nearby rickhouse.)

Incidentally, Breakside’s Smoked Porter is featured in Park Kitchen's “Boilermaker Sundae,” created by chef David Sapp and owner Scott Dolich. The dessert can be sampled at Saturday night’s Smoked event and consists of bourbon ice cream with the smoked porter, malted whipped cream, and topped with "Hair Of The Dog Granola" containing beer nuts, cocoa nibs, and puffed barley.

Amor Mercúrio Food & Drink Coverage?

Beer writer and freshman brewery owner Christian Debenedetti is the conductor of the beer side of the Wine vs. Beer panel and has been involved with Feast from the get-go. The focus of that Drink Tank event this year is pitting grapes versus hops as a complement to cheese and he’ll be pouring his kriek-inspired Montmorrissey wild ale with Montmorency cherries from his brand new Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti notes that there have been “something like 20 panels in the last five years, from cutting edge/experimental brews to food pairing.”

Perhaps Feast strikes the balance between keeping the emphasis on the edibles while paying some amount of homage to the imbibables necessary and enjoyable that wash them down.

“We are a food festival,” Thelin reiterates. Beer doesn’t deserve to be the first-string quarterback but nor should it be Feast’s benchwarmer. “It’s been well received. I think next year we’ll see more (of beer),” concludes Thelin. He even mysteriously adds that some past brewer participants may return next year in new roles with new breweries. Feast’s four-day run begins today, but we’ve already got something to whet our appetites for next year, which, unlike this year, isn’t sold out yet.


Feasting on Beer—Portland Brewers at This Year's Feast Festival

Feast co-founder Mike Thelin insists he’s a beer guy. “Let’s be honest. [Beer] is an important part [of living in Portland]. I’m a beer drinker. I haven’t seen my abs in 20 years. The beer culture in Oregon is off the hook.” He adds, “People don’t go to Portland or Oregon to not have a good selection of beer.”

Having said that, producing an event on the scale of Feast takes “a certain level of sponsorship.” It’d likely be easy to find a Heineken or an AB InBev to pony up that kind of moolah, but that’d be tantamount to having Kraft Foods or Procter & Gamble be the event’s main sponsor. (Widmer Brothers signed on as an early sponsor in the first year and the brewing company is minority owned by AB InBev, but Widmer Hefeweizen is part of Portland’s fabric while Budweiser is not.)

Feast will link together nearly 50 events throughout the city celebrating all things sandwiches to anything smoked. Beer’s role is rather subdued but it can be found at the Grand Tasting in Pioneer Square, where nearly a dozen “participant” breweries including Double Mountain, Burnside, and Buoy plus local cideries and a meadery (honey’s answer to hops and apples) will be available to sample. There are 40 participating wineries and 10 distilleries, according to Thelin.

For beer lovers, there’s a perceived dearth of beer focus. Two of the six “Drink Tank” events are dedicated to beer’s role in the food culture—“Wine Vs. Beer” and “A Bitter Twist”—but then again, it’s not like we’re not already home to Portland Cheers to Belgian Beers, the Oregon Brewers Festival, Organic Beer Fest, Holiday Ale Fest, and what feels like nearly 50 other beer-specific events held throughout the year. Most of those relegate food’s role to something you eat to lay a foundation for more beer.

Ainda, Breakside brewer Ben Edmunds, one of the five panelists at the IPA-centric Bitter Twist event because he makes award-winning bitter beers, thinks Feast can bump up beer’s role. “Feast is an amazing showcase for Oregon’s artisan food and beverage scene, but Oregon beer gets virtually no attention from the event.” He swiftly points out, “I think it’s because no one comes to Feast for the beer” even if he believes it “should have a bigger role.” It’s natural a brewer would feel that way. Edmunds likens it to a food fest in Napa “not playing up the wine angle,” or one in Louisville “not tying in bourbon.” (Parenthetically, this blogger will be attending a beer festival in Louisville next month and does not expect to find any bourbon, at least as an official part of the event, but will more than likely find himself in a nearby rickhouse.)

Incidentally, Breakside’s Smoked Porter is featured in Park Kitchen's “Boilermaker Sundae,” created by chef David Sapp and owner Scott Dolich. The dessert can be sampled at Saturday night’s Smoked event and consists of bourbon ice cream with the smoked porter, malted whipped cream, and topped with "Hair Of The Dog Granola" containing beer nuts, cocoa nibs, and puffed barley.

Amor Mercúrio Food & Drink Coverage?

Beer writer and freshman brewery owner Christian Debenedetti is the conductor of the beer side of the Wine vs. Beer panel and has been involved with Feast from the get-go. The focus of that Drink Tank event this year is pitting grapes versus hops as a complement to cheese and he’ll be pouring his kriek-inspired Montmorrissey wild ale with Montmorency cherries from his brand new Wolves & People Farmhouse Brewery. Debenedetti notes that there have been “something like 20 panels in the last five years, from cutting edge/experimental brews to food pairing.”

Perhaps Feast strikes the balance between keeping the emphasis on the edibles while paying some amount of homage to the imbibables necessary and enjoyable that wash them down.

“We are a food festival,” Thelin reiterates. Beer doesn’t deserve to be the first-string quarterback but nor should it be Feast’s benchwarmer. “It’s been well received. I think next year we’ll see more (of beer),” concludes Thelin. He even mysteriously adds that some past brewer participants may return next year in new roles with new breweries. Feast’s four-day run begins today, but we’ve already got something to whet our appetites for next year, which, unlike this year, isn’t sold out yet.


Assista o vídeo: Kicking off the Holiday Ale Festival