Novas receitas

O Burger King criou um ambientador Whopper, porque por que não?

O Burger King criou um ambientador Whopper, porque por que não?


O Burger King Brasil criou um ambientador Whopper que cheira como o famoso hambúrguer de fast food e pregou peças nos clientes com ele

Tem aquele cheiro fresco de carne.

No ano passado, o Burger King Japan lançou um perfume Whopper, e agora o Brasil lançou seu próprio perfume aromático de hambúrguer ... para o carro! O Burger King Brasil criou um ambientador com aroma Whopper e pregou peças nos clientes colocando-os em táxis do lado de fora de bares e boates populares.

Você pode ver as reações hilárias abaixo. "Tem cheiro de carne aqui?" uma pessoa pergunta enquanto outra acusa avidamente: "Você acabou de comer um hambúrguer aqui, não é?" Os táxis saciaram a fome de todos parando em um Burger King. Nada como uma farra noturna para curar o desejo gorduroso de fast food.

Embora possa ter sido uma brincadeira hilária, o nariz sabe: o odorizador do carro é feito para cheirar como um Whopper autêntico. Nenhuma palavra ainda sobre se o Burger King seguirá o exemplo do Japão e começará a vender esta bizarra bugiganga nas lojas do Burger King do Brasil em breve.


O Burger King contou a alguém sobre seu hambúrguer sem carne?

A rede de fast-food Burger King foi processada no mês passado por um homem que afirma que os hambúrgueres à base de vegetais da empresa estão "contaminados" com carne.

Phillip Williams, um vegano que entrou com o processo no tribunal federal de Miami, diz que comeu um Impossível Whopper baseado em plantas no início deste ano em uma loja do Burger King em Atlanta. Ele diz que nunca teria comido o Whopper Impossível se soubesse que o Burger King, também conhecido como BK, usa os mesmos grelhadores para cozinhar o Whopper Impossível e o Whopper tradicional à base de vaca da empresa e outros produtos de carne grelhada.

No suposto processo de ação coletiva, Williams afirma que BK "enganou" a ele e (presumivelmente) a outros clientes veganos e vegetarianos. Williams busca reparação de acordo com a Lei de Práticas Comerciais Enganosas e Injustas da Flórida e outras leis. Ele pediu ao tribunal para conceder indenizações e honorários advocatícios e obrigar BK "a divulgar claramente que o Whopper Impossível é cozido na mesma grelha que sua outra carne." O Burger King não comentou o processo.

O Impossível Whopper da BK - uma versão vegetal do Whopper exclusivo da rede - é construído em torno de um hambúrguer Impossível à base de plantas. As vendas do popular sanduíche ajudaram a impulsionar os resultados financeiros da BK. (Embora eu tenha experimentado e apreciado vários alimentos à base de plantas produzidos pela Beyond Meat - um concorrente líder do Impossible Burger - estou registrado como achando o próprio Impossible Burger maçante e deficiente.)

Os veganos, por necessidade, estão atentos. E nenhum vegano deve ser enganado pelo Impossível Whopper, que, como a descrição do produto afirma claramente, contém maionese. Os pães de hambúrguer BK, relata um site vegano, também contêm leite. Além do mais, como a CNET observou no mês passado - dias antes do processo BK ser aberto - o Impossível Burger "pode ​​não ser totalmente amigável para veganos ou vegetarianos" devido ao fato de que "a contaminação cruzada ocorre entre a carne real e a carne falsa do Impossível".

"100% WHOPPER®, 0% Beef", afirma a descrição do Burger King de seu Impossível Whopper. A descrição também observa que "[f] para hóspedes que procuram uma opção sem carne, um método de preparação sem frangos está disponível mediante solicitação." Em outras palavras, clientes como Williams, que desejam comer algo projetado em um laboratório para parecer, cheirar, sentir e saborear exatamente como carne, mas que também desejam evitar comer carne real, podem optar por ter seu Whopper impossível preparado em um das microondas de BK.

Mas Williams afirma que foi enganado. Ele diz que "só viu as representações do Réu de que o Impossível Whopper foi feito com o hambúrguer 'Impossível' vegano e sem carne". Mas Williams também observa que ele encomendou o Whopper Impossível sem maionese em um drive-thru BK. Se Williams estava curioso para saber por que a versão padrão de um sanduíche que ele acreditava ser vegano vinha com maionese, ele não detalhou isso em seu processo. Nada no processo indica que ele fez qualquer pergunta sobre o Impossível Whopper da equipe do Burger King antes, durante ou depois de sua compra.

O Burger King estava tentando "enganar" alguém? Eu sinceramente duvido. Por um lado, de acordo com um relatório da Reuters, o Impossível Whopper foi projetado "para comedores de carne que desejam consumir menos proteína animal, não para veganos ou vegetarianos." Este não é Williams, que afirma no processo "ele não come ou bebe nada que use subprodutos animais".

Se Williams deseja comer apenas alimentos que acredita não conter subprodutos animais, ele deve fazê-lo. Mas ele também pode querer considerar que o Burger King é provavelmente a última coisa que o separa de uma dieta 100% vegana.

Considere, por exemplo, os níveis de defeito da Food and Drug Administration. Eles estabelecem limites - entre outras coisas - nas quantidades máximas permissíveis de animais e partes de animais que podem aparecer em vários alimentos disponíveis comercialmente - incluindo muitos alimentos supostamente veganos ou vegetarianos. De acordo com os regulamentos, a pimenta da Jamaica pode conter dezenas de fragmentos de insetos. A manteiga de maçã pode conter pelos de roedores. Os espargos podem conter ovos de besouro. Os sucos de frutas podem conter vermes e partes de moscas. Os brócolis congelados podem conter ácaros. As sementes podem conter "excrementos de mamíferos". E assim por diante.

Abrir essa linha de investigação sugere ainda algo como uma caixa de Pandora. Considere - como prova o clássico comercial do Reese's Peanut Butter Cup - que a chamada contaminação de alimentos tem dois sentidos e geralmente está nos olhos de quem vê. Em algum lugar no caminho, comedores de carne ofendidos podem decidir processar um restaurante por contaminação de seus produtos de carne preferidos (por exemplo, hambúrgueres) de produtos não à base de carne (por exemplo, o hambúrguer impossível) que eles abominam.

Por essas e outras razões, acredito (e espero) que este processo contra BK fracasse. Mas outros não têm tanta certeza. O professor de direito Stephen Carter argumenta que a alegação de "0% de carne bovina" de BK poderia ajudar a convencer um tribunal de que o Burger King estava errado porque a declaração é "uma afirmação clara e precisa sobre a existência de um fato".

Curiosamente, o processo gerou alguns críticos improváveis: muitos veganos e vegetarianos. Centenas de pessoas, lideradas por um autodenominado vegano, assinaram uma petição da Change.org agradecendo ao Burger King por vender o Impossível Whopper. Eles e outros estão gratos pela escolha e preocupados com o fato de o processo de BK poder ter consequências indesejadas.

"Se este processo levar a uma decisão que obrigue o Burger King a ter grelhados sem carne separados para cozinhar hambúrgueres à base de vegetais, isso pode ser um problema", escreveu Rich Duprey do Motley Fool na semana passada. "Adicionar [novos] grelhados seria uma solução cara e o Burger King provavelmente acharia mais fácil e barato retirar o Impossível Whopper do menu."

Se esse for o resultado final, então este processo será uma grande perda para a escolha do consumidor em geral e - mais especificamente - um grande revés para veganos e vegetarianos que desejam ver mais e melhores opções à base de plantas nos restaurantes mais populares da América.


O Burger King contou a alguém sobre seu hambúrguer sem carne?

A rede de fast-food Burger King foi processada no mês passado por um homem que afirma que os hambúrgueres à base de vegetais da empresa estão "contaminados" com carne.

Phillip Williams, um vegano que entrou com o processo no tribunal federal de Miami, diz que comeu um Impossível Whopper baseado em plantas no início deste ano em uma loja do Burger King em Atlanta. Ele diz que nunca teria comido o Whopper Impossível se soubesse que o Burger King, também conhecido como BK, usa os mesmos grelhadores para cozinhar o Whopper Impossível e o Whopper tradicional à base de vaca da empresa e outros produtos de carne grelhada.

No suposto processo de ação coletiva, Williams afirma que BK "enganou" a ele e (presumivelmente) a outros clientes veganos e vegetarianos. Williams busca reparação de acordo com a Lei de Práticas Comerciais Enganosas e Injustas da Flórida e outras leis. Ele pediu ao tribunal para conceder indenizações e honorários advocatícios e obrigar BK "a divulgar claramente que o Whopper Impossível é cozido na mesma grelha que sua outra carne." O Burger King não comentou o processo.

O Impossível Whopper da BK - uma versão vegetal do Whopper exclusivo da rede - é construído em torno de um hambúrguer Impossível à base de plantas. As vendas do popular sanduíche ajudaram a impulsionar os resultados financeiros da BK. (Embora eu tenha experimentado e apreciado vários alimentos à base de plantas produzidos pela Beyond Meat - um concorrente líder do Impossible Burger - estou registrado como achando o próprio Impossible Burger maçante e deficiente.)

Os veganos, por necessidade, estão atentos. E nenhum vegano deve ser enganado pelo Impossível Whopper, que, como a descrição do produto afirma claramente, contém maionese. Os pães de hambúrguer BK, relata um site vegano, também contêm leite. Além do mais, como a CNET observou no mês passado - dias antes do processo BK ser aberto - o Impossível Burger "pode ​​não ser totalmente amigável para veganos ou vegetarianos" devido ao fato de que "a contaminação cruzada ocorre entre a carne real e a carne falsa do Impossível".

"100% WHOPPER®, 0% Beef", afirma a descrição do Burger King de seu Impossível Whopper. A descrição também observa que "[f] para hóspedes que procuram uma opção sem carne, um método de preparação sem frangos está disponível mediante solicitação." Em outras palavras, clientes como Williams, que desejam comer algo projetado em um laboratório para parecer, cheirar, sentir e saborear exatamente como carne, mas que também desejam evitar comer carne real, podem optar por ter seu Whopper impossível preparado em um das microondas de BK.

Mas Williams afirma que foi enganado. Ele diz que "só viu as representações do Réu de que o Impossível Whopper foi feito com o hambúrguer 'Impossível' vegano e sem carne". Mas Williams também observa que ele encomendou o Whopper Impossível sem maionese em um drive-thru BK. Se Williams estava curioso para saber por que a versão padrão de um sanduíche que ele acreditava ser vegano vinha com maionese, ele não detalhou isso em seu processo. Nada no processo indica que ele fez qualquer pergunta sobre o Impossível Whopper da equipe do Burger King antes, durante ou depois de sua compra.

O Burger King estava tentando "enganar" alguém? Eu sinceramente duvido. Por um lado, de acordo com um relatório da Reuters, o Impossível Whopper foi projetado "para comedores de carne que desejam consumir menos proteína animal, não para veganos ou vegetarianos". Este não é Williams, que afirma no processo "ele não come ou bebe nada que use subprodutos animais".

Se Williams deseja comer apenas alimentos que acredita não conter subprodutos animais, ele deve fazê-lo. Mas ele também pode querer considerar que o Burger King é provavelmente a última coisa que o separa de uma dieta 100% vegana.

Considere, por exemplo, os níveis de defeito da Food and Drug Administration. Eles estabelecem limites - entre outras coisas - nas quantidades máximas permissíveis de animais e partes de animais que podem aparecer em vários alimentos comercialmente disponíveis - incluindo muitos alimentos supostamente veganos ou vegetarianos. De acordo com os regulamentos, a pimenta da Jamaica pode conter dezenas de fragmentos de insetos. A manteiga de maçã pode conter pelos de roedores. Os espargos podem conter ovos de besouro. Os sucos de frutas podem conter vermes e partes de moscas. Os brócolis congelados podem conter ácaros. As sementes podem conter "excrementos de mamíferos". E assim por diante.

Abrir essa linha de investigação sugere ainda algo como uma caixa de Pandora. Considere - como prova o clássico comercial do Reese's Peanut Butter Cup - que a chamada contaminação de alimentos tem dois sentidos e geralmente está nos olhos de quem vê. Em algum lugar no caminho, comedores de carne ofendidos podem decidir processar um restaurante por contaminação de seus produtos de carne preferidos (por exemplo, hambúrgueres) de produtos não à base de carne (por exemplo, o hambúrguer impossível), eles abominam.

Por essas e outras razões, acredito (e espero) que este processo contra BK fracasse. Mas outros não têm tanta certeza. O professor de direito Stephen Carter argumenta que a alegação de "0% de carne bovina" de BK poderia ajudar a convencer um tribunal de que o Burger King estava errado porque a declaração é "uma afirmação clara e precisa sobre a existência de um fato".

Curiosamente, o processo gerou alguns críticos improváveis: muitos veganos e vegetarianos. Centenas de pessoas, lideradas por um autodenominado vegano, assinaram uma petição da Change.org agradecendo ao Burger King por vender o Impossível Whopper. Eles e outros estão gratos pela escolha e preocupados com o fato de o processo de BK poder ter consequências indesejadas.

"Se este processo levar a uma decisão que obrigue o Burger King a ter grelhados sem carne separados para cozinhar hambúrgueres à base de vegetais, isso pode ser um problema", escreveu Rich Duprey do Motley Fool na semana passada. "Adicionar [novos] grelhados seria uma solução cara e o Burger King provavelmente acharia mais fácil e barato retirar o Impossível Whopper do menu."

Se esse for o resultado final, então este processo será uma grande perda para a escolha do consumidor em geral e - mais especificamente - um grande revés para veganos e vegetarianos que desejam ver mais e melhores opções à base de plantas nos restaurantes mais populares da América.


O Burger King contou a alguém sobre seu hambúrguer sem carne?

A rede de fast-food Burger King foi processada no mês passado por um homem que afirma que os hambúrgueres à base de vegetais da empresa estão "contaminados" com carne.

Phillip Williams, um vegano que entrou com o processo no tribunal federal de Miami, diz que comeu um Impossível Whopper baseado em plantas no início deste ano em uma loja do Burger King em Atlanta. Ele diz que nunca teria comido o Whopper Impossível se soubesse que o Burger King, também conhecido como BK, usa os mesmos grelhadores para cozinhar o Whopper Impossível e o Whopper tradicional à base de vaca da empresa e outros produtos de carne grelhada.

No suposto processo de ação coletiva, Williams afirma que BK "enganou" a ele e (presumivelmente) a outros clientes veganos e vegetarianos. Williams busca reparação de acordo com a Lei de Práticas Comerciais Enganosas e Injustas da Flórida e outras leis. Ele pediu ao tribunal para conceder indenizações e honorários advocatícios e obrigar BK "a divulgar claramente que o Whopper Impossível é cozido na mesma grelha que sua outra carne." O Burger King não comentou o processo.

O Impossível Whopper da BK - uma versão vegetal do Whopper exclusivo da rede - é construído em torno de um hambúrguer Impossível à base de plantas. As vendas do popular sanduíche ajudaram a impulsionar os resultados financeiros da BK. (Embora eu tenha experimentado e apreciado vários alimentos à base de plantas produzidos pela Beyond Meat - um concorrente líder do Impossible Burger - estou registrado como achando o próprio Impossible Burger maçante e deficiente.)

Os veganos, por necessidade, estão atentos. E nenhum vegano deve ser enganado pelo Impossível Whopper, que, como a descrição do produto claramente afirma, contém maionese. Os pães de hambúrguer BK, relata um site vegano, também contêm leite. Além do mais, como a CNET observou no mês passado - dias antes do processo BK ser aberto - o Impossível Burger "pode ​​não ser totalmente amigável para veganos ou vegetarianos" devido ao fato de que "a contaminação cruzada ocorre entre a carne real e a carne falsa do Impossível".

"100% WHOPPER®, 0% Beef", afirma a descrição do Burger King de seu Impossível Whopper. A descrição também observa que "[f] para hóspedes que procuram uma opção sem carne, um método de preparação sem frangos está disponível mediante solicitação." Em outras palavras, clientes como Williams, que desejam comer algo projetado em um laboratório para parecer, cheirar, sentir e saborear exatamente como carne, mas que também desejam evitar comer carne real, podem optar por ter seu Whopper impossível preparado em um das microondas de BK.

Mas Williams afirma que foi enganado. Ele diz que "só viu as representações do Réu de que o Impossível Whopper foi feito com o hambúrguer 'Impossível' vegano e sem carne". Mas Williams também observa que ele encomendou o Whopper Impossível sem maionese em um drive-thru BK. Se Williams estava curioso para saber por que a versão padrão de um sanduíche que ele acreditava ser vegano vinha com maionese, ele não detalhou isso em seu processo. Nada no processo indica que ele fez qualquer pergunta sobre o Impossível Whopper da equipe do Burger King antes, durante ou depois de sua compra.

O Burger King estava tentando "enganar" alguém? Eu sinceramente duvido. Por um lado, de acordo com um relatório da Reuters, o Impossível Whopper foi projetado "para comedores de carne que desejam consumir menos proteína animal, não para veganos ou vegetarianos". Este não é Williams, que afirma no processo "ele não come ou bebe nada que use subprodutos animais".

Se Williams deseja comer apenas alimentos que acredita não conter subprodutos animais, ele deve fazê-lo. Mas ele também pode querer considerar que o Burger King é provavelmente a última coisa que o separa de uma dieta 100% vegana.

Considere, por exemplo, os níveis de defeito da Food and Drug Administration. Eles estabelecem limites - entre outras coisas - nas quantidades máximas permissíveis de animais e partes de animais que podem aparecer em vários alimentos comercialmente disponíveis - incluindo muitos alimentos supostamente veganos ou vegetarianos. De acordo com os regulamentos, a pimenta da Jamaica pode conter dezenas de fragmentos de insetos. A manteiga de maçã pode conter pelos de roedores. Os espargos podem conter ovos de besouro. Os sucos de frutas podem conter vermes e partes de moscas. Os brócolis congelados podem conter ácaros. As sementes podem conter "excrementos de mamíferos". E assim por diante.

Abrir essa linha de investigação sugere ainda algo como uma caixa de Pandora. Considere - como prova o clássico comercial do Reese's Peanut Butter Cup - a chamada contaminação de alimentos tem duas vias e geralmente está nos olhos de quem vê. Em algum lugar no caminho, comedores de carne ofendidos podem decidir processar um restaurante por contaminação de seus produtos de carne preferidos (por exemplo, hambúrgueres) de produtos não à base de carne (por exemplo, o hambúrguer impossível), eles abominam.

Por essas e outras razões, acredito (e espero) que este processo contra BK fracasse. Mas outros não têm tanta certeza. O professor de direito Stephen Carter argumenta que a alegação de "0% de carne bovina" de BK poderia ajudar a convencer um tribunal de que o Burger King estava errado porque a declaração é "uma afirmação clara e precisa sobre a existência de um fato".

Curiosamente, o processo gerou alguns críticos improváveis: muitos veganos e vegetarianos. Centenas de pessoas, lideradas por um autodenominado vegano, assinaram uma petição da Change.org agradecendo ao Burger King por vender o Impossível Whopper. Eles e outros estão gratos pela escolha e preocupados com o fato de o processo de BK poder ter consequências indesejadas.

"Se este processo levar a uma decisão que obrigue o Burger King a ter grelhados sem carne separados para cozinhar hambúrgueres à base de vegetais, isso pode ser um problema", escreveu Rich Duprey do Motley Fool na semana passada. "Adicionar [novos] grelhados seria uma solução cara e o Burger King provavelmente acharia mais fácil e barato retirar o Impossível Whopper do menu."

Se esse for o resultado final, então este processo será uma grande perda para a escolha do consumidor em geral e - mais especificamente - um grande revés para veganos e vegetarianos que desejam ver mais e melhores opções à base de plantas nos restaurantes mais populares da América.


O Burger King contou a alguém sobre seu hambúrguer sem carne?

A rede de fast-food Burger King foi processada no mês passado por um homem que afirma que os hambúrgueres à base de vegetais da empresa estão "contaminados" com carne.

Phillip Williams, um vegano que entrou com o processo no tribunal federal de Miami, diz que comeu um Impossível Whopper baseado em plantas no início deste ano em uma loja do Burger King em Atlanta. Ele diz que nunca teria comido o Whopper Impossível se soubesse que o Burger King, também conhecido como BK, usa os mesmos grelhadores para cozinhar o Whopper Impossível e o Whopper tradicional à base de vaca da empresa e outros produtos de carne grelhada.

No suposto processo de ação coletiva, Williams afirma que BK "enganou" a ele e (presumivelmente) a outros clientes veganos e vegetarianos. Williams busca reparação de acordo com a Lei de Práticas Comerciais Enganosas e Injustas da Flórida e outras leis. Ele pediu ao tribunal para conceder indenizações e honorários advocatícios e obrigar BK "a divulgar claramente que o Whopper Impossível é cozido na mesma grelha que sua outra carne." O Burger King não comentou o processo.

O Impossível Whopper da BK - uma versão vegetal do Whopper exclusivo da rede - é construído em torno de um hambúrguer Impossível à base de plantas. As vendas do popular sanduíche ajudaram a impulsionar os resultados financeiros da BK. (Embora eu tenha experimentado e apreciado vários alimentos à base de plantas produzidos pela Beyond Meat - um concorrente líder do Impossible Burger - estou registrado como achando o próprio Impossible Burger maçante e deficiente.)

Os veganos, por necessidade, estão atentos. E nenhum vegano deve ser enganado pelo Impossível Whopper, que, como a descrição do produto afirma claramente, contém maionese. Os pães de hambúrguer BK, relata um site vegano, também contêm leite. Além do mais, como a CNET observou no mês passado - dias antes do processo BK ser aberto - o Impossível Burger "pode ​​não ser totalmente amigável para veganos ou vegetarianos" devido ao fato de que "a contaminação cruzada ocorre entre a carne real e a carne falsa do Impossível".

"100% WHOPPER®, 0% Beef", afirma a descrição do Burger King de seu Impossível Whopper. A descrição também observa que "[f] para hóspedes que procuram uma opção sem carne, um método de preparação sem frango está disponível mediante solicitação." Em outras palavras, clientes como Williams, que desejam comer algo projetado em um laboratório para parecer, cheirar, sentir e saborear exatamente como carne, mas que também desejam evitar comer carne real, podem optar por ter seu Whopper impossível preparado em um das microondas de BK.

Mas Williams afirma que foi enganado. Ele diz que "só viu as representações do Réu de que o Impossível Whopper foi feito com o hambúrguer 'Impossível' vegano e sem carne". Mas Williams também observa que ele pediu o Impossível Whopper sem maionese em um drive-thru BK. Se Williams estava curioso para saber por que a versão padrão de um sanduíche que ele acreditava ser vegano vinha com maionese, ele não detalhou isso em seu processo. Nada no processo indica que ele fez qualquer pergunta sobre o Impossível Whopper da equipe do Burger King antes, durante ou depois de sua compra.

O Burger King estava tentando "enganar" alguém? Eu sinceramente duvido. Por um lado, de acordo com um relatório da Reuters, o Impossível Whopper foi projetado "para comedores de carne que desejam consumir menos proteína animal, não para veganos ou vegetarianos". Este não é Williams, que afirma no processo "ele não come ou bebe nada que use subprodutos animais".

Se Williams deseja comer apenas alimentos que acredita não conter subprodutos animais, ele deve fazê-lo. Mas ele também pode querer considerar que o Burger King é provavelmente a última coisa que o separa de uma dieta 100% vegana.

Considere, por exemplo, os níveis de defeito da Food and Drug Administration. Eles estabelecem limites - entre outras coisas - nas quantidades máximas permissíveis de animais e partes de animais que podem aparecer em vários alimentos disponíveis comercialmente - incluindo muitos alimentos supostamente veganos ou vegetarianos. De acordo com os regulamentos, a pimenta da Jamaica pode conter dezenas de fragmentos de insetos. A manteiga de maçã pode conter pelos de roedores. Os espargos podem conter ovos de besouro. Os sucos de frutas podem conter vermes e partes de moscas. Os brócolis congelados podem conter ácaros. As sementes podem conter "excrementos de mamíferos". E assim por diante.

Abrir essa linha de investigação sugere ainda algo como uma caixa de Pandora. Considere - como prova o clássico comercial do Reese's Peanut Butter Cup - a chamada contaminação de alimentos tem duas vias e geralmente está nos olhos de quem vê. Em algum lugar no caminho, comedores de carne ofendidos podem decidir processar um restaurante por contaminação de seus produtos de carne preferidos (por exemplo, hambúrgueres) de produtos não à base de carne (por exemplo, o hambúrguer impossível), eles abominam.

Por essas e outras razões, acredito (e espero) que este processo contra BK fracasse. Mas outros não têm tanta certeza. O professor de direito Stephen Carter argumenta que a alegação de "0% de carne bovina" de BK poderia ajudar a convencer um tribunal de que o Burger King estava errado porque a declaração é "uma afirmação clara e precisa sobre a existência de um fato".

Curiosamente, o processo gerou alguns críticos improváveis: muitos veganos e vegetarianos. Centenas de pessoas, lideradas por um autodenominado vegano, assinaram uma petição da Change.org agradecendo ao Burger King por vender o Impossível Whopper. Eles e outros estão gratos pela escolha e preocupados com o fato de o processo de BK poder ter consequências indesejadas.

"Se este processo levar a uma decisão que obrigue o Burger King a ter grelhados sem carne separados para cozinhar hambúrgueres à base de vegetais, isso pode ser um problema", escreveu Rich Duprey do Motley Fool na semana passada. "Adicionar [novos] grelhados seria uma solução cara e o Burger King provavelmente acharia mais fácil e barato retirar o Impossível Whopper do menu."

Se esse for o resultado final, então este processo será uma grande perda para a escolha do consumidor em geral e - mais especificamente - um grande revés para veganos e vegetarianos que desejam ver mais e melhores opções à base de plantas nos restaurantes mais populares da América.


O Burger King contou a alguém sobre seu hambúrguer sem carne?

A rede de fast-food Burger King foi processada no mês passado por um homem que afirma que os hambúrgueres à base de vegetais da empresa estão "contaminados" com carne.

Phillip Williams, um vegano que entrou com o processo no tribunal federal de Miami, diz que comeu um Impossível Whopper baseado em plantas no início deste ano em uma loja do Burger King em Atlanta. Ele diz que nunca teria comido o Whopper Impossível se soubesse que o Burger King, também conhecido como BK, usa os mesmos grelhadores para cozinhar o Whopper Impossível e o Whopper tradicional à base de vaca da empresa e outros produtos de carne grelhada.

No suposto processo de ação coletiva, Williams afirma que BK "enganou" a ele e (presumivelmente) a outros clientes veganos e vegetarianos. Williams busca reparação de acordo com a Lei de Práticas Comerciais Enganosas e Injustas da Flórida e outras leis. Ele pediu ao tribunal para conceder indenizações e honorários advocatícios e obrigar BK "a divulgar claramente que o Whopper Impossível é cozido na mesma grelha que sua outra carne." O Burger King não comentou o processo.

O Impossível Whopper da BK - uma versão vegetal do Whopper exclusivo da rede - é construído em torno de um hambúrguer Impossível à base de plantas. As vendas do popular sanduíche ajudaram a impulsionar os resultados financeiros da BK. (Embora eu tenha experimentado e apreciado vários alimentos à base de plantas produzidos pela Beyond Meat - um concorrente líder do Impossible Burger - estou registrado como achando o próprio Impossible Burger maçante e deficiente.)

Os veganos, por necessidade, estão atentos. E nenhum vegano deve ser enganado pelo Impossível Whopper, que, como a descrição do produto claramente afirma, contém maionese. Os pães de hambúrguer BK, relata um site vegano, também contêm leite. Além do mais, como a CNET observou no mês passado - dias antes do processo BK ser aberto - o Impossível Burger "pode ​​não ser totalmente amigável para veganos ou vegetarianos" devido ao fato de que "a contaminação cruzada ocorre entre a carne real e a carne falsa do Impossível".

"100% WHOPPER®, 0% Beef", afirma a descrição do Burger King de seu Impossível Whopper. A descrição também observa que "[f] para hóspedes que procuram uma opção sem carne, um método de preparação sem frango está disponível mediante solicitação." Em outras palavras, clientes como Williams, que desejam comer algo projetado em um laboratório para parecer, cheirar, sentir e saborear exatamente como carne, mas que também desejam evitar comer carne real, podem optar por ter seu Whopper impossível preparado em um das microondas de BK.

Mas Williams afirma que foi enganado. Ele diz que "só viu as representações do Réu de que o Impossível Whopper foi feito com o hambúrguer 'Impossível' vegano e sem carne". Mas Williams também observa que ele pediu o Impossível Whopper sem maionese em um drive-thru BK. Se Williams estava curioso para saber por que a versão padrão de um sanduíche que ele acreditava ser vegano vinha com maionese, ele não detalhou isso em seu processo. Nada no processo indica que ele fez qualquer pergunta sobre o Impossível Whopper da equipe do Burger King antes, durante ou depois de sua compra.

O Burger King estava tentando "enganar" alguém? Eu sinceramente duvido. Por um lado, de acordo com um relatório da Reuters, o Impossível Whopper foi projetado "para comedores de carne que desejam consumir menos proteína animal, não para veganos ou vegetarianos." Este não é Williams, que afirma no processo "ele não come ou bebe nada que use subprodutos animais".

Se Williams deseja comer apenas alimentos que acredita não conter subprodutos animais, ele deve fazê-lo. Mas ele também pode querer considerar que o Burger King é provavelmente a última coisa que o separa de uma dieta 100% vegana.

Considere, por exemplo, os níveis de defeito da Food and Drug Administration. Eles estabelecem limites - entre outras coisas - nas quantidades máximas permissíveis de animais e partes de animais que podem aparecer em vários alimentos disponíveis comercialmente - incluindo muitos alimentos supostamente veganos ou vegetarianos. De acordo com os regulamentos, a pimenta da Jamaica pode conter dezenas de fragmentos de insetos. A manteiga de maçã pode conter pelos de roedores. Os espargos podem conter ovos de besouro. Os sucos de frutas podem conter vermes e partes de moscas. Os brócolis congelados podem conter ácaros. As sementes podem conter "excrementos de mamíferos". E assim por diante.

Abrir essa linha de investigação sugere ainda algo como uma caixa de Pandora. Considere - como prova o clássico comercial do Reese's Peanut Butter Cup - a chamada contaminação de alimentos tem duas formas e geralmente está nos olhos de quem vê. Em algum lugar no caminho, comedores de carne ofendidos podem decidir processar um restaurante por contaminação de seus produtos de carne preferidos (por exemplo, hambúrgueres) de produtos não à base de carne (por exemplo, o hambúrguer impossível), eles abominam.

Por essas e outras razões, acredito (e espero) que este processo contra BK fracasse. Mas outros não têm tanta certeza. O professor de direito Stephen Carter argumenta que a alegação de "0% de carne bovina" de BK poderia ajudar a convencer um tribunal de que o Burger King estava errado porque a declaração é "uma afirmação clara e precisa sobre a existência de um fato".

Curiosamente, o processo gerou alguns críticos improváveis: muitos veganos e vegetarianos. Centenas de pessoas, lideradas por um autodenominado vegano, assinaram uma petição da Change.org agradecendo ao Burger King por vender o Impossível Whopper. Eles e outros estão gratos pela escolha e preocupados com o fato de o processo de BK poder ter consequências indesejadas.

"Se este processo levar a uma decisão que obrigue o Burger King a ter grelhados sem carne separados para cozinhar hambúrgueres à base de vegetais, isso pode ser um problema", escreveu Rich Duprey do Motley Fool na semana passada. "Adicionar [novos] grelhados seria uma solução cara e o Burger King provavelmente acharia mais fácil e barato retirar o Impossível Whopper do menu."

If that's the end result, then this lawsuit will prove to be a huge loss for consumer choice in general and—more specifically—a huge setback for vegans and vegetarians who long to see more and better plant-based choices in America's most popular restaurants.


Did Burger King Tell a Whopper About Its Meatless Burger?

The fast-food chain Burger King was sued last month by a man who claims the company's plant-based burgers are "contaminated" with meat.

Phillip Williams, a vegan who filed the lawsuit in federal court in Miami, says he ate a plant-based Impossible Whopper earlier this year at a Burger King location in Atlanta. He says he never would have eaten the Impossible Whopper if he were aware Burger King, also known as BK, uses the same grills to cook both the Impossible Whopper and the company's traditional, cow-based Whopper and other grilled-meat products.

In the putative class-action lawsuit , Williams claims BK "duped" him and (presumably) other vegan and vegetarian customers. Williams seeks redress under Florida's Deceptive and Unfair Trade Practices Act and other laws. He's asked the court to award damages and attorneys fees and to compel BK "to plainly disclose that the Impossible Whopper is cooked on the same grill as its other meat." Burger King has not commented on the lawsuit.

BK's Impossible Whopper—a plant-based version of the chain's signature Whopper—is built around a plant-based Impossible Burger patty. Sales of the popular sandwich have been credited with helping boost BK's bottom line. (Though I've tried and enjoyed various plant-based foods produced by Beyond Meat—a leading Impossible Burger competitor—I'm on record as finding the Impossible Burger itself to be dull and lacking.)

Vegans, out of necessity, are attentive. And no vegan should be fooled by the Impossible Whopper, which, as the product description clearly states, contains mayonnaise. BK burger buns, a vegan website reports , also contain milk. What's more, as CNET noted last month—days before the BK lawsuit was filed—the Impossible Burger "may not be entirely friendly for vegans or vegetarians" due to the fact that " cross-contamination occurs between real meat and Impossible's faux meat. "

"100% WHOPPER®, 0% Beef ," states Burger King's description of its Impossible Whopper. The description also notes that "[f]or guests looking for a meat-free option, a non-broiler method of preparation is available upon request." In other words, customers such as Williams who want to eat something that is designed in a laboratory to look, smell, feel, and taste exactly like meat but who also want to avoid eating actual meat may choose to have their Impossible Whopper prepared in one of BK's microwaves.

But Williams claims he was duped. He says he " only saw Defendant's representations that the Impossible Whopper was made with the 'Impossible' vegan and meat-free burger patty." But Williams also notes he ordered the Impossible Whopper without mayonnaise at a BK drive-thru. If Williams was curious why the default version of a sandwich he believed to be vegan came with mayonnaise, he doesn't detail that in his lawsuit. Nothing in the lawsuit indicates he asked any questions about the Impossible Whopper of Burger King staff before, during, or after his purchase.

Was Burger King trying to "dupe" anyone? I sincerely doubt it. For one thing, according to a Reuters report , the Impossible Whopper was designed "for meat eaters who want to consume less animal protein, not for vegans or vegetarians." That's not Williams, who claims in the suit "he does not eat or drink anything that uses animal by-products."

If Williams wants to eat only foods he believes contains no animal by-products, he should do so. But he also might wish to consider that Burger King is probably the last thing standing between him and a 100% vegan diet.

Consider, for example, the Food and Drug Administration's defect levels . They establish limits on—among other things—the maximum permissible amounts of animals and animal parts that may appear in various commercially available foods—including many putatively vegan or vegetarian foods. According to the regulations, allspice may contain dozens of insect fragments. Apple butter may contain rodent hairs. Asparagus may contain beetle eggs. Fruit juices may contain maggot and fly parts. Frozen broccoli may contain mites. Seeds may contain "mammalian excreta." E assim por diante.

Opening up this line of inquiry further suggests something of a Pandora's box. Consider—as the classic Reese's Peanut Butter Cup commercial proves—so-called contamination of food goes both ways, and is often in the eye of the beholder. Somewhere down the road, aggrieved meat eaters might decide to sue a restaurant over contamination of their preferred meat products (e.g., hamburgers) de non-meat products (e.g., the Impossible Burger) they abhor.

For these and other reasons, I believe (and hope) this lawsuit against BK will fail. But others aren't so sure. Law professor Stephen Carter argues BK's "0% Beef" claim could help convince a court that Burger King was in the wrong because the statement is "a clear and precise assertion about the existence of a fact."

Interestingly, the lawsuit has generated some unlikely critics: many vegans and vegetarians. Hundreds of people, led by a self-described vegan , have signed on to a Change.org petition thanking Burger King for selling the Impossible Whopper. They and others are grateful for the choice and concerned the BK lawsuit could have unintended consequences.

"If this lawsuit leads to a ruling that forces Burger King to have separate, meat-free grills to cook plant-based burgers, that could be a problem," wrote the Motley Fool's Rich Duprey last week. "Adding [new] grills would be an expensive fix and Burger King would likely find it easier and cheaper to drop the Impossible Whopper from the menu."

If that's the end result, then this lawsuit will prove to be a huge loss for consumer choice in general and—more specifically—a huge setback for vegans and vegetarians who long to see more and better plant-based choices in America's most popular restaurants.


Did Burger King Tell a Whopper About Its Meatless Burger?

The fast-food chain Burger King was sued last month by a man who claims the company's plant-based burgers are "contaminated" with meat.

Phillip Williams, a vegan who filed the lawsuit in federal court in Miami, says he ate a plant-based Impossible Whopper earlier this year at a Burger King location in Atlanta. He says he never would have eaten the Impossible Whopper if he were aware Burger King, also known as BK, uses the same grills to cook both the Impossible Whopper and the company's traditional, cow-based Whopper and other grilled-meat products.

In the putative class-action lawsuit , Williams claims BK "duped" him and (presumably) other vegan and vegetarian customers. Williams seeks redress under Florida's Deceptive and Unfair Trade Practices Act and other laws. He's asked the court to award damages and attorneys fees and to compel BK "to plainly disclose that the Impossible Whopper is cooked on the same grill as its other meat." Burger King has not commented on the lawsuit.

BK's Impossible Whopper—a plant-based version of the chain's signature Whopper—is built around a plant-based Impossible Burger patty. Sales of the popular sandwich have been credited with helping boost BK's bottom line. (Though I've tried and enjoyed various plant-based foods produced by Beyond Meat—a leading Impossible Burger competitor—I'm on record as finding the Impossible Burger itself to be dull and lacking.)

Vegans, out of necessity, are attentive. And no vegan should be fooled by the Impossible Whopper, which, as the product description clearly states, contains mayonnaise. BK burger buns, a vegan website reports , also contain milk. What's more, as CNET noted last month—days before the BK lawsuit was filed—the Impossible Burger "may not be entirely friendly for vegans or vegetarians" due to the fact that " cross-contamination occurs between real meat and Impossible's faux meat. "

"100% WHOPPER®, 0% Beef ," states Burger King's description of its Impossible Whopper. The description also notes that "[f]or guests looking for a meat-free option, a non-broiler method of preparation is available upon request." In other words, customers such as Williams who want to eat something that is designed in a laboratory to look, smell, feel, and taste exactly like meat but who also want to avoid eating actual meat may choose to have their Impossible Whopper prepared in one of BK's microwaves.

But Williams claims he was duped. He says he " only saw Defendant's representations that the Impossible Whopper was made with the 'Impossible' vegan and meat-free burger patty." But Williams also notes he ordered the Impossible Whopper without mayonnaise at a BK drive-thru. If Williams was curious why the default version of a sandwich he believed to be vegan came with mayonnaise, he doesn't detail that in his lawsuit. Nothing in the lawsuit indicates he asked any questions about the Impossible Whopper of Burger King staff before, during, or after his purchase.

Was Burger King trying to "dupe" anyone? I sincerely doubt it. For one thing, according to a Reuters report , the Impossible Whopper was designed "for meat eaters who want to consume less animal protein, not for vegans or vegetarians." That's not Williams, who claims in the suit "he does not eat or drink anything that uses animal by-products."

If Williams wants to eat only foods he believes contains no animal by-products, he should do so. But he also might wish to consider that Burger King is probably the last thing standing between him and a 100% vegan diet.

Consider, for example, the Food and Drug Administration's defect levels . They establish limits on—among other things—the maximum permissible amounts of animals and animal parts that may appear in various commercially available foods—including many putatively vegan or vegetarian foods. According to the regulations, allspice may contain dozens of insect fragments. Apple butter may contain rodent hairs. Asparagus may contain beetle eggs. Fruit juices may contain maggot and fly parts. Frozen broccoli may contain mites. Seeds may contain "mammalian excreta." E assim por diante.

Opening up this line of inquiry further suggests something of a Pandora's box. Consider—as the classic Reese's Peanut Butter Cup commercial proves—so-called contamination of food goes both ways, and is often in the eye of the beholder. Somewhere down the road, aggrieved meat eaters might decide to sue a restaurant over contamination of their preferred meat products (e.g., hamburgers) de non-meat products (e.g., the Impossible Burger) they abhor.

For these and other reasons, I believe (and hope) this lawsuit against BK will fail. But others aren't so sure. Law professor Stephen Carter argues BK's "0% Beef" claim could help convince a court that Burger King was in the wrong because the statement is "a clear and precise assertion about the existence of a fact."

Interestingly, the lawsuit has generated some unlikely critics: many vegans and vegetarians. Hundreds of people, led by a self-described vegan , have signed on to a Change.org petition thanking Burger King for selling the Impossible Whopper. They and others are grateful for the choice and concerned the BK lawsuit could have unintended consequences.

"If this lawsuit leads to a ruling that forces Burger King to have separate, meat-free grills to cook plant-based burgers, that could be a problem," wrote the Motley Fool's Rich Duprey last week. "Adding [new] grills would be an expensive fix and Burger King would likely find it easier and cheaper to drop the Impossible Whopper from the menu."

If that's the end result, then this lawsuit will prove to be a huge loss for consumer choice in general and—more specifically—a huge setback for vegans and vegetarians who long to see more and better plant-based choices in America's most popular restaurants.


Did Burger King Tell a Whopper About Its Meatless Burger?

The fast-food chain Burger King was sued last month by a man who claims the company's plant-based burgers are "contaminated" with meat.

Phillip Williams, a vegan who filed the lawsuit in federal court in Miami, says he ate a plant-based Impossible Whopper earlier this year at a Burger King location in Atlanta. He says he never would have eaten the Impossible Whopper if he were aware Burger King, also known as BK, uses the same grills to cook both the Impossible Whopper and the company's traditional, cow-based Whopper and other grilled-meat products.

In the putative class-action lawsuit , Williams claims BK "duped" him and (presumably) other vegan and vegetarian customers. Williams seeks redress under Florida's Deceptive and Unfair Trade Practices Act and other laws. He's asked the court to award damages and attorneys fees and to compel BK "to plainly disclose that the Impossible Whopper is cooked on the same grill as its other meat." Burger King has not commented on the lawsuit.

BK's Impossible Whopper—a plant-based version of the chain's signature Whopper—is built around a plant-based Impossible Burger patty. Sales of the popular sandwich have been credited with helping boost BK's bottom line. (Though I've tried and enjoyed various plant-based foods produced by Beyond Meat—a leading Impossible Burger competitor—I'm on record as finding the Impossible Burger itself to be dull and lacking.)

Vegans, out of necessity, are attentive. And no vegan should be fooled by the Impossible Whopper, which, as the product description clearly states, contains mayonnaise. BK burger buns, a vegan website reports , also contain milk. What's more, as CNET noted last month—days before the BK lawsuit was filed—the Impossible Burger "may not be entirely friendly for vegans or vegetarians" due to the fact that " cross-contamination occurs between real meat and Impossible's faux meat. "

"100% WHOPPER®, 0% Beef ," states Burger King's description of its Impossible Whopper. The description also notes that "[f]or guests looking for a meat-free option, a non-broiler method of preparation is available upon request." In other words, customers such as Williams who want to eat something that is designed in a laboratory to look, smell, feel, and taste exactly like meat but who also want to avoid eating actual meat may choose to have their Impossible Whopper prepared in one of BK's microwaves.

But Williams claims he was duped. He says he " only saw Defendant's representations that the Impossible Whopper was made with the 'Impossible' vegan and meat-free burger patty." But Williams also notes he ordered the Impossible Whopper without mayonnaise at a BK drive-thru. If Williams was curious why the default version of a sandwich he believed to be vegan came with mayonnaise, he doesn't detail that in his lawsuit. Nothing in the lawsuit indicates he asked any questions about the Impossible Whopper of Burger King staff before, during, or after his purchase.

Was Burger King trying to "dupe" anyone? I sincerely doubt it. For one thing, according to a Reuters report , the Impossible Whopper was designed "for meat eaters who want to consume less animal protein, not for vegans or vegetarians." That's not Williams, who claims in the suit "he does not eat or drink anything that uses animal by-products."

If Williams wants to eat only foods he believes contains no animal by-products, he should do so. But he also might wish to consider that Burger King is probably the last thing standing between him and a 100% vegan diet.

Consider, for example, the Food and Drug Administration's defect levels . They establish limits on—among other things—the maximum permissible amounts of animals and animal parts that may appear in various commercially available foods—including many putatively vegan or vegetarian foods. According to the regulations, allspice may contain dozens of insect fragments. Apple butter may contain rodent hairs. Asparagus may contain beetle eggs. Fruit juices may contain maggot and fly parts. Frozen broccoli may contain mites. Seeds may contain "mammalian excreta." E assim por diante.

Opening up this line of inquiry further suggests something of a Pandora's box. Consider—as the classic Reese's Peanut Butter Cup commercial proves—so-called contamination of food goes both ways, and is often in the eye of the beholder. Somewhere down the road, aggrieved meat eaters might decide to sue a restaurant over contamination of their preferred meat products (e.g., hamburgers) de non-meat products (e.g., the Impossible Burger) they abhor.

For these and other reasons, I believe (and hope) this lawsuit against BK will fail. But others aren't so sure. Law professor Stephen Carter argues BK's "0% Beef" claim could help convince a court that Burger King was in the wrong because the statement is "a clear and precise assertion about the existence of a fact."

Interestingly, the lawsuit has generated some unlikely critics: many vegans and vegetarians. Hundreds of people, led by a self-described vegan , have signed on to a Change.org petition thanking Burger King for selling the Impossible Whopper. They and others are grateful for the choice and concerned the BK lawsuit could have unintended consequences.

"If this lawsuit leads to a ruling that forces Burger King to have separate, meat-free grills to cook plant-based burgers, that could be a problem," wrote the Motley Fool's Rich Duprey last week. "Adding [new] grills would be an expensive fix and Burger King would likely find it easier and cheaper to drop the Impossible Whopper from the menu."

If that's the end result, then this lawsuit will prove to be a huge loss for consumer choice in general and—more specifically—a huge setback for vegans and vegetarians who long to see more and better plant-based choices in America's most popular restaurants.


Did Burger King Tell a Whopper About Its Meatless Burger?

The fast-food chain Burger King was sued last month by a man who claims the company's plant-based burgers are "contaminated" with meat.

Phillip Williams, a vegan who filed the lawsuit in federal court in Miami, says he ate a plant-based Impossible Whopper earlier this year at a Burger King location in Atlanta. He says he never would have eaten the Impossible Whopper if he were aware Burger King, also known as BK, uses the same grills to cook both the Impossible Whopper and the company's traditional, cow-based Whopper and other grilled-meat products.

In the putative class-action lawsuit , Williams claims BK "duped" him and (presumably) other vegan and vegetarian customers. Williams seeks redress under Florida's Deceptive and Unfair Trade Practices Act and other laws. He's asked the court to award damages and attorneys fees and to compel BK "to plainly disclose that the Impossible Whopper is cooked on the same grill as its other meat." Burger King has not commented on the lawsuit.

BK's Impossible Whopper—a plant-based version of the chain's signature Whopper—is built around a plant-based Impossible Burger patty. Sales of the popular sandwich have been credited with helping boost BK's bottom line. (Though I've tried and enjoyed various plant-based foods produced by Beyond Meat—a leading Impossible Burger competitor—I'm on record as finding the Impossible Burger itself to be dull and lacking.)

Vegans, out of necessity, are attentive. And no vegan should be fooled by the Impossible Whopper, which, as the product description clearly states, contains mayonnaise. BK burger buns, a vegan website reports , also contain milk. What's more, as CNET noted last month—days before the BK lawsuit was filed—the Impossible Burger "may not be entirely friendly for vegans or vegetarians" due to the fact that " cross-contamination occurs between real meat and Impossible's faux meat. "

"100% WHOPPER®, 0% Beef ," states Burger King's description of its Impossible Whopper. The description also notes that "[f]or guests looking for a meat-free option, a non-broiler method of preparation is available upon request." In other words, customers such as Williams who want to eat something that is designed in a laboratory to look, smell, feel, and taste exactly like meat but who also want to avoid eating actual meat may choose to have their Impossible Whopper prepared in one of BK's microwaves.

But Williams claims he was duped. He says he " only saw Defendant's representations that the Impossible Whopper was made with the 'Impossible' vegan and meat-free burger patty." But Williams also notes he ordered the Impossible Whopper without mayonnaise at a BK drive-thru. If Williams was curious why the default version of a sandwich he believed to be vegan came with mayonnaise, he doesn't detail that in his lawsuit. Nothing in the lawsuit indicates he asked any questions about the Impossible Whopper of Burger King staff before, during, or after his purchase.

Was Burger King trying to "dupe" anyone? I sincerely doubt it. For one thing, according to a Reuters report , the Impossible Whopper was designed "for meat eaters who want to consume less animal protein, not for vegans or vegetarians." That's not Williams, who claims in the suit "he does not eat or drink anything that uses animal by-products."

If Williams wants to eat only foods he believes contains no animal by-products, he should do so. But he also might wish to consider that Burger King is probably the last thing standing between him and a 100% vegan diet.

Consider, for example, the Food and Drug Administration's defect levels . They establish limits on—among other things—the maximum permissible amounts of animals and animal parts that may appear in various commercially available foods—including many putatively vegan or vegetarian foods. According to the regulations, allspice may contain dozens of insect fragments. Apple butter may contain rodent hairs. Asparagus may contain beetle eggs. Fruit juices may contain maggot and fly parts. Frozen broccoli may contain mites. Seeds may contain "mammalian excreta." E assim por diante.

Opening up this line of inquiry further suggests something of a Pandora's box. Consider—as the classic Reese's Peanut Butter Cup commercial proves—so-called contamination of food goes both ways, and is often in the eye of the beholder. Somewhere down the road, aggrieved meat eaters might decide to sue a restaurant over contamination of their preferred meat products (e.g., hamburgers) de non-meat products (e.g., the Impossible Burger) they abhor.

For these and other reasons, I believe (and hope) this lawsuit against BK will fail. But others aren't so sure. Law professor Stephen Carter argues BK's "0% Beef" claim could help convince a court that Burger King was in the wrong because the statement is "a clear and precise assertion about the existence of a fact."

Interestingly, the lawsuit has generated some unlikely critics: many vegans and vegetarians. Hundreds of people, led by a self-described vegan , have signed on to a Change.org petition thanking Burger King for selling the Impossible Whopper. They and others are grateful for the choice and concerned the BK lawsuit could have unintended consequences.

"If this lawsuit leads to a ruling that forces Burger King to have separate, meat-free grills to cook plant-based burgers, that could be a problem," wrote the Motley Fool's Rich Duprey last week. "Adding [new] grills would be an expensive fix and Burger King would likely find it easier and cheaper to drop the Impossible Whopper from the menu."

If that's the end result, then this lawsuit will prove to be a huge loss for consumer choice in general and—more specifically—a huge setback for vegans and vegetarians who long to see more and better plant-based choices in America's most popular restaurants.


Did Burger King Tell a Whopper About Its Meatless Burger?

The fast-food chain Burger King was sued last month by a man who claims the company's plant-based burgers are "contaminated" with meat.

Phillip Williams, a vegan who filed the lawsuit in federal court in Miami, says he ate a plant-based Impossible Whopper earlier this year at a Burger King location in Atlanta. He says he never would have eaten the Impossible Whopper if he were aware Burger King, also known as BK, uses the same grills to cook both the Impossible Whopper and the company's traditional, cow-based Whopper and other grilled-meat products.

In the putative class-action lawsuit , Williams claims BK "duped" him and (presumably) other vegan and vegetarian customers. Williams seeks redress under Florida's Deceptive and Unfair Trade Practices Act and other laws. He's asked the court to award damages and attorneys fees and to compel BK "to plainly disclose that the Impossible Whopper is cooked on the same grill as its other meat." Burger King has not commented on the lawsuit.

BK's Impossible Whopper—a plant-based version of the chain's signature Whopper—is built around a plant-based Impossible Burger patty. Sales of the popular sandwich have been credited with helping boost BK's bottom line. (Though I've tried and enjoyed various plant-based foods produced by Beyond Meat—a leading Impossible Burger competitor—I'm on record as finding the Impossible Burger itself to be dull and lacking.)

Vegans, out of necessity, are attentive. And no vegan should be fooled by the Impossible Whopper, which, as the product description clearly states, contains mayonnaise. BK burger buns, a vegan website reports , also contain milk. What's more, as CNET noted last month—days before the BK lawsuit was filed—the Impossible Burger "may not be entirely friendly for vegans or vegetarians" due to the fact that " cross-contamination occurs between real meat and Impossible's faux meat. "

"100% WHOPPER®, 0% Beef ," states Burger King's description of its Impossible Whopper. The description also notes that "[f]or guests looking for a meat-free option, a non-broiler method of preparation is available upon request." In other words, customers such as Williams who want to eat something that is designed in a laboratory to look, smell, feel, and taste exactly like meat but who also want to avoid eating actual meat may choose to have their Impossible Whopper prepared in one of BK's microwaves.

But Williams claims he was duped. He says he " only saw Defendant's representations that the Impossible Whopper was made with the 'Impossible' vegan and meat-free burger patty." But Williams also notes he ordered the Impossible Whopper without mayonnaise at a BK drive-thru. If Williams was curious why the default version of a sandwich he believed to be vegan came with mayonnaise, he doesn't detail that in his lawsuit. Nothing in the lawsuit indicates he asked any questions about the Impossible Whopper of Burger King staff before, during, or after his purchase.

Was Burger King trying to "dupe" anyone? I sincerely doubt it. For one thing, according to a Reuters report , the Impossible Whopper was designed "for meat eaters who want to consume less animal protein, not for vegans or vegetarians." That's not Williams, who claims in the suit "he does not eat or drink anything that uses animal by-products."

If Williams wants to eat only foods he believes contains no animal by-products, he should do so. But he also might wish to consider that Burger King is probably the last thing standing between him and a 100% vegan diet.

Consider, for example, the Food and Drug Administration's defect levels . They establish limits on—among other things—the maximum permissible amounts of animals and animal parts that may appear in various commercially available foods—including many putatively vegan or vegetarian foods. According to the regulations, allspice may contain dozens of insect fragments. Apple butter may contain rodent hairs. Asparagus may contain beetle eggs. Fruit juices may contain maggot and fly parts. Frozen broccoli may contain mites. Seeds may contain "mammalian excreta." E assim por diante.

Opening up this line of inquiry further suggests something of a Pandora's box. Consider—as the classic Reese's Peanut Butter Cup commercial proves—so-called contamination of food goes both ways, and is often in the eye of the beholder. Somewhere down the road, aggrieved meat eaters might decide to sue a restaurant over contamination of their preferred meat products (e.g., hamburgers) de non-meat products (e.g., the Impossible Burger) they abhor.

For these and other reasons, I believe (and hope) this lawsuit against BK will fail. But others aren't so sure. Law professor Stephen Carter argues BK's "0% Beef" claim could help convince a court that Burger King was in the wrong because the statement is "a clear and precise assertion about the existence of a fact."

Interestingly, the lawsuit has generated some unlikely critics: many vegans and vegetarians. Hundreds of people, led by a self-described vegan , have signed on to a Change.org petition thanking Burger King for selling the Impossible Whopper. They and others are grateful for the choice and concerned the BK lawsuit could have unintended consequences.

"If this lawsuit leads to a ruling that forces Burger King to have separate, meat-free grills to cook plant-based burgers, that could be a problem," wrote the Motley Fool's Rich Duprey last week. "Adding [new] grills would be an expensive fix and Burger King would likely find it easier and cheaper to drop the Impossible Whopper from the menu."

If that's the end result, then this lawsuit will prove to be a huge loss for consumer choice in general and—more specifically—a huge setback for vegans and vegetarians who long to see more and better plant-based choices in America's most popular restaurants.


Assista o vídeo: Burger King. Un Dia sin Whopper. Vero Von